Gabriella Silva

Fotos: Satiro Sodré/CBDA  //  

A natação feminina no Brasil aos poucos vem revelando novos talentos. E como você sabe, a Sul Sports não podia deixar de mostrar uma singularidade, uma verdadeira pérola que foi descoberta no fundo do mar… E essa pérola tem nome e sobrenome… Falo da carioquinha da gema Gabriella Silva, que com apenas 22 anos já é destaque da nova geração de natação feminina.

O histórico das mulheres nas piscinas brasileiras não é muito longo. Depois de Maria Lenk ser recordista mundial nas Olimpíadas de Helsinque, em 1939, nas categorias 200 m e 400 m de peito, surgiu a pernambucana Joanna Maranhão, que foi bronze nos 400 m livre dos Jogos Pan-Americanos, em 2003. Depois dela, apenas as atletas Daynara de Paula e Gabriella Silva representam promessa e despontam em nível realmente competitivo.

“A natação feminina está crescendo, e esses tempos são uma prova disso.”         (Gabriella Silva)

Gabriella atingiu o índice olímpico em maio de 2008, nos 100 m de nado borboleta, e com um tempo de 58s90 ganhou o Troféu Maria Lenk, que, na ocasião, assegurou sua vaga nos Jogos de Pequim. Depois de vibrar muito com o tempo, a nadadora saiu da piscina e correu para a arquibancada, para abraçar os pais, que assistiam ao torneio.

“Moro longe de casa, e é uma emoção muito grande conquistar isso com meus pais aqui. Nem sei como fiz esse tempo. Sem explicação. Estava muito nervosa, nem conseguia dormir à noite, de tanta ansiedade, que estava quase chorando. Fiz um trabalho de relaxamento antes de cair na piscina, pra não ficar ainda mais ligada.” (Gabriella Silva)

E como será que uma menina tão nova e com tanta responsabilidade encarou sua primeira Olimpíada? Gabriella responde…

“Nas eliminatórias, onde fiz meu melhor tempo, cometi diversos erros. Minha maior defasagem é nos fundamentos, como saída ‒ que não foi nada boa ‒ e chegada. Por isso, sei que ainda tenho muito para melhorar, para fazer muito melhor.”      (Gabriella Silva)

Nos Jogos de Pequim, em 2008, Gabriella Silva provou realmente ser uma campeã, quando surgiu sendo a “única nadadora mulher brasileira a ir a uma final olímpica”. A novata foi a única nadadora nacional que passou para as semifinais dos 100 m borboleta, chegando à final com o oitavo melhor tempo (58s00). Já com a vitória garantida e um novo recorde sul-americano, Gabriella terminou a prova como sétima colocada.

“Não dormi nada na noite anterior. Estava pilhada. Não gostei do tempo, mas achei que nadei bem. Acertei todos os fundamentos.” (Gabriella Silva)

No Mundial de Piscinas de Roma, em 2009, outro destaque para Gabriella, que terminou na quinta colocação – ela chegou a bater os primeiros 50 m na liderança, mas perdeu o ritmo e fechou a prova com o tempo de 56s94. Para se ter uma ideia, a medalhista de ouro, a sueca Sarah Sjostrom, quebrou o recorde mundial na ocasião, com 56s06, deixando para trás a australiana Jessicah Schipper (prata), com 56s23, e a chinesa Liuyang Jiao (bronze), que conseguiu 56s86. Pouquíssima diferença!

“Foi muito equilibrada a final dos 100 m borboleta feminino do Mundial de Piscinas em Roma.” (Gabriella Silva)

Além do bom desempenho na prova individual, ela também disputou o revezamento 4 x 100 m medley (individual e equipe), em que, ao lado de Carolina Mussi, Fabíola Molina e Tatiana Lemos, bateu o recorde sul-americano, com 4min02s61, garantindo a 10ª posição para o Brasil.

Mas o jardim de Gabriella não foi sempre cheio de borboletas… Em 2009, no mundial de Roma, ela teve problemas com uma vértebra, que se refletiu no ombro esquerdo. Tal problema impossibilitou Gabriella de participar do Mundial de Dubai. Na época a atleta passou por uma cirurgia, mas hoje está totalmente recuperada. Agora ela treina para seguir evoluindo e melhorar ainda mais para a competição de Londres em 2012.

“Minha rotina de treinos é bem puxada, são onze treinos por semana (nove dentro da água e três fora da água). Faço isso de segunda a sábado, são cerca de seis horas por dia de total dedicação.” (Gabriella Silva)

Gabriella conta que só passou a se dedicar inteiramente à natação depois de tentar outros esportes, como ginástica olímpica, judô e balé. Até chegar ao Pinheiros, seu atual clube, onde está desde 2006, ela defendeu outros clubes do Rio. Seus dez primeiros anos de treino foram pelo Fluminense. Depois Gabriella ficou dois anos no Flamengo e um ano no Minas Tênis Clube. Seu atual treinador é o André Luis, que também cuida do preparo de nadadoras como Flávia Delaroli, Juliana Kury e Michele Lenhardt, mas Gabriella já passou pelas mãos de Alberto Silva, o Albertinho, que já treinou nomes como Gustavo Borges e Cesar Cielo.

“Meu grande ídolo na natação sempre foi o Gustavo Borges, admiro ele como atleta e como ser humano.” (Gabriella Silva)

Apesar de Gabriella já ter nadado nas modalidades crawl e medley (individual e equipe), ela conta que escolheu se dedicar à modalidade borboleta, porque é a que mais gosta de praticar desde que começou a frequentar as piscinas, com seis anos de idade.

“No nado borboleta, os braços são erguidos simultaneamente para fora da água, imitando os movimentos das asas da borboleta. Quando voltam para a água, são estendidos ao mesmo tempo que o nadador mergulha a cabeça. As pernas sempre ficam juntas, ajudando a dar impulso.” (Gabriella Silva)

Dentro da água, Gabriella escolhe sempre usar o que for mais confortável, o melhor maiô, os melhores óculos e a melhor touca, mas fora da piscina a história é outra. Essa borboletinha d’água é vaidosa aos extremos, e quando perguntada a respeito, ela abre logo um sorrisão e responde: “Não saio de casa sem batom”! Gabriella pode esquecer qualquer coisa na hora de arrumar as malas para viajar, mas o que nunca falta é sua nécessaire gigante, cheia de maquiagens e esmaltes coloridos, mostrando que o show continua fora das piscinas.

PARTICIPAÇÕES:

Pan do Rio de Janeiro / 2007

100 m borboleta – 3º lugar / bronze

Troféu Maria Lenck / 2008 

100 m borboleta – 1º lugar / garantindo vaga em Pequim

100 m borboleta – 7º lugar

4 x 100 m medley (individual e equipe) – 12º lugar

Mundial de Piscinas e Roma / 2009

100 m borboleta – 5º lugar

4 x 100 m medley (individual e equipe) – 8º lugar