8 de novembro de 2013

Jonathan Machado

Esporte: Levantamento de Peso

DSC_3874
DSC_3921
DSC_3912

Jonathan  Machado, mais conhecido como Formiga, é um atleta de personalidade humilde e um verdadeiro apaixonado pelo que faz. Nasceu na capital gaúcha em 1984 e hoje, com 28 anos, acumula um currículo invejável de títulos num esporte pouco divulgado, e por consequência pouco conhecido por muitos. Estamos falando do levantamento de peso, ou “powerlifting”, que tem reconhecidas pela federação internacional as categorias agachamento, supino, terra e total. E é na categoria supino que o gaúcho Formiga se destaca. O cara, só em 2012, foi recordista brasileiro de supino, com a marca de 215 kg atingida na cidade de Três Coroas; campeão mundial de supino RAW (sem material de suporte); e melhor atleta sul-americano de supino entre todas as categorias no Mundial da Argentina, em Córdoba. E por aí vai!

Entre uma subida e outra, conseguimos fazer uma entrevista com esse atleta que ainda tem muita esperança de viver do esporte, como acontece nos Estados Unidos e na Europa.

Conte um pouco como você entrou nesse esporte?
Eu já praticava musculação há três anos e era muito leve; percebi que, para meu peso, eu tinha bastante força, daí procurei amigos que já praticavam antes o esporte.

Você treina em qual academia atualmente?
Treino em duas academias, Extrema Força e Fighter Fitness.

Quem é o seu treinador?
Joel da Silva, proprietário da Extrema Força.

É um esporte ainda pouco conhecido aqui no país. O que falta para deixar ele mais conhecido, na sua opinião?
Um pouco mais de espaço na mídia, e o fato de que o povo brasileiro não dá importância para outros esportes além do futebol.

Quantas horas você treina por dia? E quantas vezes por semana?
Duas horas mais ou menos, seis vezes por semana.

Como é a sua alimentação?
Me alimento de três em três horas e faço suplemento com “whey protein”, BCAA, creatina e caseína (depende a época).

Quando você está perto de alguma competição, muda alguma coisa?
Muda sim, minha alimentação fica mais regrada, para eu me manter na categoria, e meus treinos ficam mais pesados, diminuindo as séries de exercícios e aumentando a carga na barra.

Você tem uma orientação médica ou nutricionista que o acompanha?
Tenho ajuda nutricional de duas nutricionistas, Alicie Cariniel e Gabriela Oreto Niffa.

Qualquer pessoa pode praticar? Qual o seu conselho para começar nesse esporte?
Qualquer pessoa pode, temos atletas crianças e adultos com mais de 80 anos. Quem estiver iniciando deve procurar academias e treinadores que tenham experiência no esporte e procurar ir a uma competição para sentir o clima do campeonato.

Qual foi o seu maior desafio até hoje?
O maior desafio foi conseguir coloca mais de 200 kg na barra sem ter que subir de categoria.

Você usa algum tipo de suplementação?
Tenho patrocínio de suplementos, então vou sempre variando, mas uso sempre “whey protein”, BCCA, dextrose e caseína, e vario entre creatina e glutamina.

Existe algum atleta hoje em que você se inspira?
Me inspiro em vários: Marcio Kist, Gilberto Silva, Rafael Crestani, entre muitos outros.

Você já foi campeão mundial em 2012. Tem chance de ir a uma Olimpíada?
O “powerlifting” não é um esporte olímpico, mas tenho chance de ir a várias competições internacionais, o que impede é o alto custo das viagens.

Quais os tipos de lesões mais frequentes que podem acontecer?
Para quem pratica só o supino, as lesões mais comuns são inflamação nos cotovelo e ombros; pra quem faz o agachamento e o levantamento terra, é a lombar que incomoda bastante.

E os patrocínios. Você conta com apoios de algumas empresas? Quais?
Tenho patrocínio de suplementos com a Taurus Suplementos. Na última competição, na argentina, eu tive ajuda da academia Extrema Força, do Pércio, organizador do evento gaúcho Samurai Combat, e da academia Fighter Fitness.

Qual a sua categoria hoje? Pretende subir ainda ou vai se manter nela?
Minha categoria é até 67,5 kg; pretendo ficar mais uns dois anos nela e depois subir.

Qual foi o seu maior título e qual o seu maior sonho como atleta?
Meu maior título foi o de campeão mundial RAW, em Córdoba, na Argentina. Meu sonho como atleta é conseguir viver unicamente como atleta, sem precisar trabalhar em outras áreas e conhecer o máximo possível de países.