Juraci Moreira

Por Rafaella Malucelli  //

 

Ele nada, corre e pedala em busca de um sonho, o mesmo sonho de muitos, mas do qual ele é um dos poucos brasileiros que chegou perto: a medalha olímpica do triatlo. O curitibano Juraci Moreira caiu nas graças do povo quando conquistou a medalha de bronze nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro, em 2007. Porém, sua história vai muito além dessa importante medalha.

Direto do centro de treinamento em Portugal, onde ficará sediado até as Olimpíadas de 2012, Juraci nos contou sobre sua batalha pela vaga olímpica na equipe brasileira de triatlo. Depois de um ano parado, devido a um sério problema no tendão de Aquiles, Jura, como é carinhosamente chamado pelos amigos, tenta uma das vagas para as Olimpíadas de 2012, que será a quarta da sua carreira. “Tenho uma lesão crônica em ambos os tendões de Aquiles, e no final de 2009 e início de 2010, foi bem crítico. Tive que parar totalmente e fiquei seis meses sem correr, tratando a lesão, para poder estar de volta este ano com chances de disputar a vaga para Londres 2012 e uma medalha”, comenta o atleta, que ainda mantém um tratamento de fisioterapia preventiva.

 

Agora, Juraci corre atrás do tempo perdido e está participando das etapas do Circuito Mundial, organizado pela ITU (International Triathlon Union), que pode ser considerado uma prévia para as Olimpíadas. “O Circuito Mundial, para mim, tem como finalidade me classificar para a Olimpíada; ainda não penso em vencer uma prova e ser o campeão mundial, pois a classificação olímpica é baseada em vários resultados no circuito, e vai somando pontos para o ranking olímpico. Como retornei só este ano após a lesão, estou indo progressivamente e espero, já no final do ano, passar a pensar em poder vencer uma etapa ou outra”, explica Juraci.

No circuito da ITU, competem os principais atletas do mundo, e isso não deixa surpresas para os Jogos Olímpicos. Porém, há uma grande diferença entre um evento e outro: “Numa Olimpíada, todos chegam no seu auge. Fica difícil comparar as provas do Circuito Mundial com a prova olímpica, pois a Olimpíada é única, é a prova da vida de todos os atletas, então o nível sempre é muito superior a tudo que passamos em outras provas”.

Até dia 31 de maio de 2012, acontecem as provas que dão oportunidade para pontuação no ranking para a vaga olímpica. Enquanto isso, Jura segue treinando sem parar em Portugal, para encarar sua quarta Olimpíada e buscar o sonho de todo o atleta: a medalha olímpica. Porém, ele mesmo diz que o nível não está baixo, e a luta vai ser dura. “Esta vaga será a mais disputada de todas, já que hoje temos bons brasileiros na disputa do circuito mundial; e como estive lesionado, perdi o ano de 2010 e provas que pontuam para o ranking”, declara.

Segundo o experiente triatleta, o nível nacional e mundial está muito alto. “O nível está cada vez mais forte, com mais jovens. Hoje já sou um dos mais velhos ‒ 32 anos ‒ no circuito, e, por termos tantos garotos com um bom desempenho, as disputas estão bem acirradas. Num espaço de um minuto, podem chegar os 20 primeiros numa etapa do circuito mundial. Por isso, tenho que treinar com muito mais intensidade, para aguentar esse ritmo imposto por essa nova geração”, analisa.

Em ritmo parecido ao internacional, os atletas brasileiros estão se qualificando, e várias promessas podem se revelar em 2016. “A equipe brasileira está em processo de formar novos talentos que podem representar o Brasil nas Olimpíadas do Rio, em 2016. Porém, já temos uns cinco nomes fortes que estão disputando as vagas olímpicas comigo. Posso afirmar que é um dos melhores momentos para o triatlo brasileiro, e podemos ter surpresas positivas para as Olimpíadas de Londres 2012 ‒ e principalmente com os novos nomes que vão aparecer para a Rio 2016”, prevê Juraci. Nós ficamos na torcida pela medalha brasileira!

 

PRINCIPAIS TÍTULOS DE JURACI

– Bronze nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro 2007.

– Pentacampeão Brasileiro de Triathlon.

– Campeão do Mundialito de Fast Triathlon 2008 e 2009.

– 3º lugar na Copa do Mundo do Japão 2002.

– Campeão dos Jogos Sul-americanos da Argentina 2006.

– Atleta mais jovem a disputar o Triathlon nas Olimpíadas de Sidney 2000.

– Atleta olímpico em Sidney 2000, Atenas 2004 e Pequim 2008.

– Campeão do Triathlon Internacional de Portugal, Guatemala, Argentina, México, Equador, Chile e Quênia.