6 de novembro de 2013

Pedro Scooby

Esporte: Surf

23-03-scooby 6 (divulgação midia bacana)
23-04-scooby 4 (arquivo pessoal)
23-02-scooby 3  (arquivo pessoal)

“Minha vida é temperada por ondas grandes e grandes amigos. Quem atravessa o mundo inteiro atrás de uma única onda faz isso porque gosta. Não tenho medo de me arriscar, muito menos de ser feliz.”

Alegre, extrovertido, brincalhão e ao mesmo tempo focado nos momentos de perigo que necessitam maior precisão, Scooby é capaz de unir extremos no universo do surfe. Apesar da pouca idade, o atleta demonstra dentro d’água a experiência de um veterano, sabendo tomar decisões importantes em momentos difíceis. Versátil, ele surfa desde as menores ondas, para realizar suas manobras aéreas, até as ondas gigantes e mais assustadoras, que poucos picos do planeta podem proporcionar.

Essa versatilidade fez com que Scooby conquistasse destaque no universo do esporte. Em 2011, foi eleito como o melhor freesurfer do ano. Hoje seu foco principal tem sido o surfe em ondas grandes. Para isso, ele tem treinado com o bicampeão mundial Carlos Burle, viajando pelo mundo à procura dessas raras ondas gigantescas. Sua busca já rendeu boas recompensas: foi indicado duas vezes ao XXL, o Oscar das ondas grandes, e conseguiu o título de melhor tubo de 2011 pela principal revista de surfe do país, a Fluir.

Aos 24 anos, Pedro Scooby já tem muito mais do que pediu a Deus… O surfista integra uma equipe liderada pelo famoso big rider Carlos Burle, leva a vida desbravando o mundo atrás de ondas assustadoramente grandes e conta ainda com o patrocínio da Nike, multinacional que tem em seu time estrelas como Neymar e Anderson Silva.

“O cara lá em cima é mesmo muito maneiro comigo. Sou abençoado”, reconhece o surfista. “Mas tudo que eu conquistei também é mérito meu. Nunca desperdicei uma oportunidade”, completa ele.

Outra grande conquista de Pedro Scooby aconteceu fora da praia: o romance com a atriz Luana Piovani, que, além de ser uma estrela da TV e do cinema, é referência de beleza nacional. Os dois se conheceram em pleno Carnaval, em um camarote da Sapucaí, e hoje estão casados e com um filho, o pequeno Dom.

O gosto pelo surfe começou aos 11 anos. Mais tarde e durante uns bons anos, o carioca levou vida de surfista fanfarrão, fazendo noitadas, bebendo todas e deixando os treinos para depois. Os amigos até começaram a vê-lo como um talento desperdiçado. Há cerca de dois anos, Scooby decidiu levar a profissão a sério. Pouco depois, veio Luana e em seguida o filho, estrutura que o ajudou a se focar no esporte.

Scooby, que ganhou esse apelido na infância por causa do jeito meio engasgado de falar (parecido com o personagem Scooby-Doo) é o que a tribo das ondas chama de freesurfer (surfista livre). Ele não participa de competições, como a maioria dos profissionais. Seu trabalho é aparecer na mídia esportiva, chamar atenção, seja pegando ondas monstruosas pelo mundo, seja realizando manobras aéreas loucas.

“Não gosto de competição. Participei de algumas, mas detestei. Fui vice-campeão carioca duas vezes. Igual ao Vasco”, brinca o atleta carioca, que cresceu num apartamento na Praia do Recreio. “Para mim, surfe é arte. Não tem como dar nota. Você daria uma nota para um quadro da Adriana Varejão? Do Picasso?”, pergunta ele.

Por ser um “artista” de ondas grandes, o trabalho de Scooby pode trazer riscos sérios. Duas ocasiões que fizeram o atleta ser elogiado por revistas internacionais e surfistas renomados também poderiam ter terminado com ossos quebrados. Em março de 2010, na praia de Puerto Escondido, no México, ele surfou um tubo descomunal na maior ressaca daquele ano. O atleta saiu cuspido de dentro da montanha d’água e foi esmagado. As imagens correram o mundo. Já em agosto de 2011, Scooby estava em Bora Bora, curtindo a lua de mel com Luana, quando recebeu um e-mail de Carlos Burle dando conta de que uma ondulação grande se aproximava das ilhas e que ele estava indo para Teahupoo, local famoso entre os surfistas, também no Taiti. Scooby pediu licença para a mulher e foi atrás. Chegando lá, com prancha emprestada, tomou caldos violentos, mas se levantou e pegou ondas muito boas. O feito foi parar em várias revistas. É esse tipo de atitude que faz o nome de um freesurfer.

“Scooby está num ótimo momento, é uma carreira meteórica”, diz o veterano Burle, que ficou preocupado quando o “pupilo” começou a namorar Luana. “Muita gente achou que afetaria a carreira dele. Perguntavam: ‘O que o Scooby quer da vida?’. Mas o casamento só o ajudou a ter foco na profissão”, completa Burle.

Ele próprio admite que já teve dúvidas. “Cheguei a pensar: ‘Caramba, não tenho nada a ver com o mundo de celebridades. Será que vai dar certo?’. Mas a Luana não vive essa afetação. É atriz, pertence a esse universo, mas isso não comanda a vida dela. A gente nunca teve uma briga”, relata ele, dizendo não sentir ciúmes. “Nunca imaginei que ela fosse me dar mole. Não sou o cara mais bonito do Brasil, nem o mais rico. Não sou mistura de Brad Pitt com filho do Eike Batista. Ela está comigo porque quer”, completa Scooby.

Em 2013 o público poderá ver no Canal Off mais uma das experiências de Scooby, uma viagem dele com amigos, da Califórnia ao Panamá. O roteiro escolhido é atrativo, revelador e cheio de aventuras, vale conferir!