6 de janeiro de 2016

Viaje gastando pouco

DCIM100GOPROG0055297.

Foto: Divulgação //

Raphael Rotta e Manoela Pontual, que seguem em expedição pela Ásia, desbravam destinos pouco explorados, pagando pouco e compartilhando experiência em site e redes sociais.

Viajar para locais pouco explorados, ter experiências inesquecíveis e gastar pouco é o mote de Raphael Rotta e Manoela Pontual, casal que criou a Plot, consultoria online de viagens customizadas. Em expedição pelo sudeste da Ásia durante todo o ano passado, o casal gastou até R$ 150 por dia (incluindo hospedagem, alimentação e transporte para os dois) e compartilha as experiências tanto no site mundoplot.com.br, como nas redes sociais.

Há mais de oito meses na estrada, Rapha e Manu já percorreram 45 cidades e têm experiências incríveis para contar, como a “Escalada em Tonsai Beach” – em que praticaram o Deep Water Soloing, um tipo de escalada sem cordas em formações rochosas no meio do mar – aproximadamente R$ 70 com almoço incluso; a “aula de meditação com monges budistas”, em Chiang Mai, uma conversa sobre budismo, cultura tailandesa e uma aula de iniciação à meditação – o equivalente a R$ 15.

Com planejamento, o casal economizou em transporte, alimentação, passagens e principalmente em hospedagem, que ficou na média de R$ 50 por noite, com internet e banheiro privativo como únicas exigências. O casal precisou de conexão para atender a demanda da Plot, já que a consultoria atende os clientes por e-mail, Skype e Whatsapp. Para comprovar como planejamento é essencial, em uma de suas experiências, chegaram a pagar R$ 40 em uma acomodação com bangalô, banheiro privativo, ar-condicionado, internet e cozinha compartilhada. “É preciso pesquisar e, sempre que possível, antecipar as decisões e reservas. Esse é um dos principais segredos para quem quer economizar”, menciona Raphael Rotta.

Além destas experiências, o casal compartilha diversas outras diariamente no site e nas redes sociais. “Geramos bastante conteúdo sobre o sudeste asiático, em uma profundidade única, pois visitamos lugares pouco explorados e com tempo suficiente para desvendar cada destino, sem aquela correria que é comum em mochileiros que viajam de férias”, completa Rotta.

Com mais de 20 colaboradores, o site também é uma das principais portas para os clientes da consultoria de viagem online e apresenta serviços, dicas, histórias e colunas assinadas por brasileiros que vivem fora do país.

#dicaplot para aproveitar a viagem e gastar pouco:

1º Acomodações – pesquisar, reservar acomodações com antecedência ou fechar períodos longos de hospedagem são opções para gastar menos. “O valor mais caro que pagamos em acomodação foi em Koh Lipe, na Tailândia, cerca de R$ 100 pela diária, pois não reservamos com antecedência”, comenta Manoela Pontual.

2º Comida – Evite lugares em regiões extremamente turísticas e/ou que oferecem culinária internacional. Comida local pode ser uma excelente forma de conhecer mais da cultura, além de ser mais barato. Além disso, entenda quanto deveria custar um prato e persiga esse preço, abrindo o mínimo possível de exceções. Na Ásia, por exemplos, em muitos destinos é possível gastar menos de R$ 5 por uma refeição.

3º Transporte – Utilize sempre o transporte público local, para evitar táxis e/ou motoristas que têm custos mais altos. Andar também é uma opção: “Em Koh Tao, fizemos uma trilha de 11 km, por exemplo, para conhecer algumas praias que as pessoas normalmente vão de barco. Além de economizarmos, conhecemos uma série de praias que não fazem parte dos roteiros tradicionais”, conta Raphael. Outra ideia bacana é alugar bicicletas ou dar preferência aos Bike Tours, como fez o casal em Yogyakarta, para conhecer um vilarejo indonésio, onde entraram em contato com a comunidade, aprenderam sobre o processo de produção de arroz e compreenderam a dimensão do trabalho coletivo, acompanhados pela Via Via, uma empresa social que estimula o turismo sustentável e desenvolvimento local – cerca de R$ 35 pelo passeio.