Avancini vence a CIMTB e soma pontos no Ciclo Olímpico

Ciclistas Shimano dominaram o pódio das duas disputas da CIMTB, em Ouro Preto, o short track (XCC) e cross country olímpico (XCO) no último sábado e domingo.

A cidade histórica de Ouro Preto (MG) recebeu no último fim de semana a primeira prova do País valendo pontos para o Ciclo Olímpico de Tóquio 2020 no mountain bike. Top 3 do mundo, Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) demonstrou que vive o melhor momento de sua carreira e venceu as duas corridas da Copa Internacional de MTB, a do short track (XCC), no sábado, e a do cross country olímpico (XCO), no domingo. Com isso, somou 70 pontos nos rankings mundial e olímpico, 10 na primeira prova e outros 60 na segunda, a principal do evento.

Além da dobradinha conquistada por Henrique Avancini, o pódio das duas provas comprovou o domínio dos ciclistas Shimano. No XCC, todos os atletas no top 5 eram patrocinados pela marca: José Gabriel Marques (Groove/Shimano/Chaoyang/ASW) foi o vice campeão, seguido de Guilherme Muller, Rubinho Valeriano e Mario Couto (os três da Sense Factory Racing). “Estou feliz com a vitória. Afinal, conseguir um bom resultado depois de uma sequência de competições internacionais, é gratificante”, disse o petropolitano Avancini, logo após o triunfo no sábado.

Já no XCO, outros seis atletas do Shimano Sports Team estiveram no top 10. Com exceção de Fabio Castañeda (COL) e Luiz Cocuzzi, segundo e terceiro colocados, respectivamente, e de Juan Monroy (COL), em sétimo, os demais ciclistas no pódio eram patrocinados pela marca no Brasil: Guilherme Muller e Rubinho Valeriano, em quarto e quinto, enquanto Sherman Trezza e Lukas Kaufmann (ambos Cannondale Brasil Racing) ficaram em sexto e sétimo. Campeão na sub-23, Mario Couto ficou em nono, e José Gabriel foi o décimo.

A disputa pela vitória no XCO teve Luiz Cocuzzi liderando no início, até que Henrique Avancini conseguiu encostar no adversário na segunda volta. Nos quilômetros finais, Avancini atacou e garantiu o título em Ouro Preto. “Na primeira volta, não consegui segurar o ritmo do Cocuzzi. Tentei seguir, mas vi que na parte final da pista seria difícil para mim e ele abriu um tempo considerável. Na segunda volta, consegui me reconectar, e a partir da terceira comecei a encostar. Na quarta, eu consegui reduzir mais a diferença para, em seguida, ultrapassá-lo. Fiquei feliz pelo resultado. Foi uma prova bastante sofrida, não me senti tão bem, mas, consegui entregar uma boa performance”, relatou Avancini logo após a chegada, em entrevista ao canal MTB90.