Peruanos se destacam nas grandes ondas de Pipeline

Miguel Tudela, Joaquin del Castillo, Alvaro Malpartida e Cristobal de Col, passaram para as oitavas de final do QS 3000 Volcom Pipe Pro com vitórias no mar difícil do sábado no Havaí.

Os peruanos se destacaram com quatro vitórias no mar desafiador do sábado no Havaí, com ondas de 12-15 pés em Pipeline e Backdoor na batalha por vagas nas oitavas de final do Volcom Pipe Pro QS 3000. Joaquin del Castillo despachou o top havaiano Sebastian Zietz logo depois do brasileiro Robson Santos barrar o bicampeão mundial John John Florence. Mais três peruanos venceram, Alvaro Malpartida, Cristobal de Col e Miguel Tudela, numa dobradinha sul-americana com o uruguaio Marco Giorgi. E o sábado terminou com o paulista Weslley Dantas ganhando a disputa pelas últimas vagas nas oitavas de final do QS 3000 de Banzai Pipeline, na ilha de Oahu, no Havaí.

O pernambucano Ian Gouveia já havia conquistado sua classificação na sexta-feira e não competiu no sábado. O evento foi paralisado após o encerramento da quarta fase e uma chamada para as oitavas de final anunciada para as 13h30, porém, as condições do mar não mudaram e as previsões são de estarem melhores no domingo para finalizar o campeonato. A próxima chamada para as oitavas de final ficou, então, para as 7h30 do domingo no Havaí, 15h30 no horário de verão do Brasil.

Ian Gouveia vai disputar a segunda bateria com outro top da elite da World Surf League, o francês Joan Duru, e dois norte-americanos, Ian Crane e Cam Richards, que na sexta-feira ganhou uma nota 10 nos tubaços de Pipeline. O paulista Robson Santos entra na terceira com o australiano Jack Robinson e dois havaianos, Mason Ho e Evan Valiere, com a moral elevada por ter derrotado o bicampeão mundial John John Florence na casa dele.

Robson enfrentou o havaiano numa hora difícil do mar, com poucas ondas boas. John John estava passando em segundo com 3,47 pontos apenas e o brasileiro só tinha surfado uma que valeu 2,93, mas achou outra no minuto final para ganhar 1,33 e conseguir a classificação com 4,26 pontos. A vitória foi do australiano Noa Deane por 6,50 nas duas únicas ondas que pegou também, enquanto o francês Nomme Mignot ficou em último com 2,97.

“As condições do mar estão realmente grandes hoje (sábado)”, disse John John Florence. “A previsão dizia que ia que ficar enorme e acabou ficando bem grande hoje, mas bem difícil de achar boas ondas. Foi um tipo de jogo diferente lá fora, tipo de gato e rato e eu não tive sorte. Mas, tudo bem, vou surfar em outro lugar então”.

Após a eliminação da grande estrela do Volcom Pipe Pro, vieram três vitórias peruanas consecutivas nas condições difíceis do mar em Pipeline. A série começou com Joaquin del Castillo, que conseguiu nota 4,07 em sua última onda para pular do terceiro para o primeiro lugar, superando os dois havaianos que estavam se classificando. Ian Walsh passou em segundo e o top do CT, Sebastian Zietz, cabeça de chave número 2 do QS 3000 de Pipeline, também foi barrado em sua estreia na temporada 2018 da World Surf League.

Na disputa seguinte, Alvaro Malpartida surfou um belo tubo em sua primeira onda que valeu 6,17 e acabou confirmando a vitória com o 0,57 da sua segunda e última tentativa de surfar na bateria. Com ela, superou o australiano Mitchell Parkinson por 6,74 a 6,56 e o brasileiro Lucas Silveira foi eliminado junto com outro australiano, Mitch Coleborn. Cristobal de Col também só surfou duas ondas para vencer a 11.a bateria por 5,70 pontos, com as notas 4,17 e 1,53 recebidas. O havaiano Tanner Hendrickson passou em segundo lugar com apenas 3,56, contra 2,57 do italiano Leonardo Fioravanti e 1,33 do australiano Brent Dorrington.