Renato Rezende enfrenta os melhores pilotos do BMX nacional

Oportunidade para ver o atleta olímpico do Shimano Sports Team em ação na Taça Brasil, neste sábado e domingo, no Parque Jacuí, na zona leste da capital.

O torcedor brasileiro poderá ver de perto o ídolo Renato Rezende (GT Bicycles/Nissan/Shimano), que já disputou duas Olimpíadas, Londres 2012 e Rio 2016, na Taça Brasil de BMX, neste fim de semana em São Paulo (SP). A competição nacional, que faz sua estreia no calendário da CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo), será a primeira da modalidade na temporada e promete ser especial para o atleta do Shimano Sports Team, que no fim do ano passado finalizou a recuperação de uma lesão sofrida em maio de 2017, na etapa da Bélgica da Copa do Mundo de BMX.

“Além de valer pontos para o ranking nacional, fazia bastante tempo que o Brasil não tinha uma corrida com tantos pilotos na elite. São 26 inscritos e isso é muito bom para o nosso esporte. Deve ser uma das mais fortes da temporada no País”, enaltece Renato Rezende. “Ainda não estou na minha melhor fase, dentro do que pretendo atingir em 2018, porque venho treinando para etapas da Copa do Mundo e o Mundial, no meio do ano, quando já estará iniciado o ciclo olímpico”, completa.

“Acredito que a experiência de ter competido em diversas provas internacionais pode acabar me ajudando nas disputas nacionais, como é o caso da Taça Brasil. Após quebrar o pé em maio de 2017, participei apenas de uma prova, em novembro, a Copa do Brasil, no Paraná. Na ocasião, terminei na terceira posição. Fui para lá sem treino e aproveitei para fazer algumas clínicas com a criançada”, conta Rezende, que tem sua bike equipada com componentes DXR da Shimano, de alta qualidade e específicos para o BMX.

Para a Taça Brasil de BMX, na pista do Parque Jacuí, são esperados mais de 300 atletas nacionais, além de representantes de Chile e Bolívia, países que já confirmaram participação. A programação oficial da competição segue neste sábado, a partir das 14h30, e domingo, com as etapas finais às 10h30. “Termos uma pista deste nível em São Paulo é uma novidade, o que é bem bacana para a cidade e também para a visibilidade do esporte”, finaliza Rezende.