Scheidt conquista medalha de prata na classe Star da Bacardi Cup

Bicampeão olímpico cruzou a linha de chegada em 2º na última regata da competição, no último sábado, em Miami.

Brasileiro velejou ao lado do proeiro norte-americano Brian Fatih e se mostrou satisfeito com o resultado na disputa de alto nível e que envolveu 80 barcos.

Robert Scheidt é medalha de prata na edição 2018 da Classe Star na Bacardi Cup. No último sábado, em Miami, nos Estados Unidos, o bicampeão olímpico cruzou a linha de chegada em 2º lugar na última regata da competição. Com isso, ganhou uma posição no pódio, subindo do 3º para 2º na classificação geral. O título não ficou com o velejador brasileiro e seu proeiro, o norte-americano Brian Fatih, por dois pontos. Os campeões, os italianos Diego Negri e Sergio Lambertenghi terminaram com 14 pontos perdidos, contra 16 de Scheidt/Fatih.

Scheidt se mostrou satisfeito com o resultado. “Largamos muito bem neste sábado, lideramos praticamente a regata inteira, mas no final, próximo da linha de chegada, o Iain Percy, da Inglaterra, nos ultrapassou e cruzamos na segunda colocação. Com isso, terminamos com a medalha de prata. Pesou um pouco a corrida do 15º lugar, pois, se tivéssemos um descarte melhor, as coisas poderiam ter sido diferentes. Mas no geral, foi ótimo ter vindo para Miami. Fizemos uma competição consistente e conseguimos um bom resultado. Foi ótimo ter velejado na Bacardi Cup, com tantos barcos em um nível tão alto”, analisou o maior medalhista do Brasil, com cinco pódios, e que tem patrocínio do Banco do Brasil, Rolex e apoio do COB e CBVela.

O grande objetivo de Scheidt na Star, em 2018, é a SSL Finals, em dezembro, nas Bahamas, competição a qual conquistou a medalha de prata em 2017, ao lado do proeiro Henry Boenning, o Maguila. Antes, deve disputar o Campeonato Paulista, em Guarapiranga, na Páscoa. “No segundo semestre, vou encaixar o Campeonato Sul-Americano, no Rio de Janeiro, em novembro. Mas pode ser que eu ainda entre em mais competições. Tudo vai depender da agenda”, conta Robert.

Além de Robert Scheidt, o Brasil teve mais barcos na disputa da Bacardi Cup. Lars Grael e Samuel Gonçalves terminaram na quarta posição e os demais velejadores brasileiros conseguiram os seguintes resultados finais: Alessandro Pascolato/Henry Boening (27º lugar), Admar Gonzaga Neto/Alexandre Figueiredo de Freitas (32º), Fabio Prada/Cristiano Ruschmann (40º), Marcelo Fuchs/Ubiratan Matos (76º). O proeiro brasileiro Bruno Prada, que veleja com o norte-americano Augie Diaz, ficou na 12º colocação.