Buenos Aires, de passagem – Parte II

Eu sou adepta dos “free walking tours”, sempre que existe na cidade. Acho muito válido, e útil para conhecer melhor a história da cidade, com um toque mais divertido, do que com guias turísticos normais. Geralmente são pessoas na média dos 20 a 40 anos, que conhecem bem a cidade, e sua história, e trabalham na base de gorjeta, que é doada no final do tour.

O “free tour” em Buenos Aires tem dois roteiros, e optamos por fazer o roteiro da região central em uma tarde, e na manhã seguinte iríamos fazer o da região da Recoleta, porém esse tour foi um pouco mais demorado que o de costume, e levou cerca de quatro horas, e finalizamos exaustas, desistindo do roteiro pela recoleta.

Resolvemos ir no tour em espanhol, pois o inglês estava lotado, então não seria muito bom para prestar atenção nas histórias. Foi bem válido e passamos pelos principais pontos em torno do centro da cidade, finalizando na casa Rosada. Recomendo!

Palácio Barolo, com analogias e referências a Divina Comédia, de Dante Alighieri.

Após quatro horas de caminhada e histórias, nada melhor do que continuar caminhando em direção ao Puerto Madero, que fica muito próximo da Casa Rosada, para curtir um fim de dia, tomar uma cerveja e relaxar. Achei bem bonito e super agradável e mesmo com os preços um pouco mais alto, acho válido incluir na visita.

Puente de La Mujer. Puerto Madero.

Após todo dia, ainda se tinha pique para ir para Palermo, conhecer os bares do bairro. Um ao lado do outro, com diversas opções para todos os gostos. Quem quiser fazer um happy hour é válido, e também para quem quiser prolongar a noite.

No próximo post contarei sobre o segundo dia em Buenos Aires, e um pouco da arte envolvida na cidade. Não deixem de acompanhar!

****

Sigam minha página no instagram, para acompanharem mais fotos e as viagens em tempo real.

Texto: Diana Pinto.