PARA TODO MAL MEZCAL, Y PARA TODO BIEN TAMBIÉN

Após os experimentos alcoólicos  em Cholula e Puebla, chegou a hora de Oaxaca, e sim, mais álcool. Oaxaca é a terra do Mezcal, a bebida que é produzida a partir da planta de Maguey (agave), nativa do México, encontrada principalmente em Oaxaca. Além de Oaxaca, a planta se encontra em  Guerrero, Durango, San Luis Potosi e Zacatecas.

Maguey.

A mezcal não é tão popular quanto a tequila, não é exportada para outros países, porém é mais forte, e eu achei mais gostosa. Geralmente se bebe pura, e você ainda vai dar de cara com um vermezinho simpático no fundo da garrafa, mais conhecido como “Gusano”, que basicamente é a larva da borboleta, antes de criar asas. (Desculpa gente, não entendo muito desse mundo, então a explicação não é muito teórica, mas deu para entender, né?!)

Mezcal, e o gusano no fundo da garrafa.

Pela cidade você encontrará vários lugares para compras de Mezcal e as cremas de mezcal. Experimentamos todos tipos de bebida da loja, ficamos bem alegres, e gostei muito de uma feita com uma fruta típica do México: Guanabana. Não sei explicar o sabor que tem, mas é uma delícia, e recomendo. Uma pena que só tinha garrafa grande para venda, e não consegui trazer para o Brasil. Eles fazem amostras pequenas, porém, apenas dos sabores mais comuns. Mezcal em miniatura é uma ótima recomendação para presentes.

Crema de Mezcal.

Agora que você já está meio bêbado aí, vou contar um pouquinho mais de Oaxaca.  A cidade fica no estado do mesmo nome, e 470 km distante da Cidade do México.  Nós saímos de Cholula, e levamos em torno de 5 horas. A vista é bem legal para os amantes de cactos –  que nem eu – e a estrada é bem tranquila de dirigir.

Oaxaca é muito histórica, com um ar colonial conservado, muitas igrejas, praças e muito artesanato para você usar suas habilidades negociadoras.  Próximo da cidade, é possível visitar a zona arqueológica de Monte Albán, que foi o lugar militar e religioso mais importante do vale de Oaxaca.

Há boatos que o chocolate foi inventado em Oaxaca, o queijo é muito popular, e os chapulines, que já citei anteriormente, são mais famosos ali também. Ou seja, você encontra praticamente tudo em apenas uma visita.

Ficamos hospedadas bem em frente ao Zócalo da cidade, no segundo hostel que encontramos, pois já era noite e não queríamos perder muito tempo procurando cama, porém, apesar de limpo, não recomendo. Ali você encontrará muitas opções, então caso não reserve com antecedência, dê uma procurada de dia, para ficar mais confortável a noite. Antes de escolhermos esse próximo ao Zócalo, passamos em um bem recomendado no Hostelworld, “cielo azul”, ou algo do tipo, e achei bem interessante, e um clima bem de hostel, apesar de um pouco longe do centro. De repente vale a pena tentar.

Já me prolonguei muito, então no próximo post contarei sobre o Mercado mais famoso da cidade, e também sobre o “carnaval” que acontece nas suas ruas.  Beijo galera, e até o próximo post, para deixar vocês com água na boca, após tanta bebida

***********

Pessoal, mil perdões pela pobreza de fotos nesse post. Perdi as fotos, e tentei passar uma ideia do que é o que, então me ajudem, e usem bem a imaginação, que eu sei que vocês têm de sobra.

Texto: Diana Pinto / @ababelada