Porque você deveria criar uma lista de anti-resoluções de ano novo

As resoluções de ano novo podem ser as listas mais assustadoras que o ser humano pode criar.

As mais populares de 2017 eram “ficar saudável”, “se organizar” e “viver a vida por completo”, de acordo com um artigo da NBC News, nos EUA. Ao invés de fazer um grande objetivo para a vida, considere uma lista anti-resolução do que fazer. É o que sugere o autor Mike Vardy (The Front Nine: How to Start the Year You Want Anytime You Want).

“Janeiro é a pior época do ano para se fazer algo novo”, diz ele. “Acabamos de sair do dia de Ação de Graças, a época de compras, do Natal. Nós temos menos de uma semana para decidir as grandes coisas para o ano que vem. É aí que a maioria das pessoas não consegue criar os hábitos para se manterem com seus objetivos”.

O que deveria ir na sua lista “Anti-Resolução” de ano novo

O autor diz que “a maioria das pessoas abre mão de alguma coisa”. “Eu não vou beber álcool ou eu não vou mais falar palavrão, por exemplo. Você tira algo da sua rotina regular e a lista anti-resolução pode ser estruturada da mesma forma.”

Ao invés de fazer uma promessa de comer saudável, por exemplo, comece com “Eu não vou comer fast food”, sugere Vardy. “É mais específico,” ele diz. “E assim saberemos qual vai ser o resultado ao final do ano.”

A lista anti-resolução pode criar energia e inspirar sua carreira. Eis aqui algumas ideias para começar:

 

  1. Pare de morder a língua. Quando você tem uma opinião para compartilhar, faça. Isso vai motivar você a achar uma melhor forma de comunicação que permite que as suas ideias sejam ouvidas.
  2. Pare de trabalhar com clientes ruins. Pessoas que pagam pouco pelo seu tempo precisam serem dispensadas. Comece o ano demitindo clientes que te causam estresse e ansiedade, mesmo que ainda não tenha encontrado novos.
  3. Para de usar termos para fugir da responsabilidade. Começar uma frase com “Desculpe incomodá-lo, mas”, “Eu só queria te dizer,” ou “Eu me sinto como” prejudicam a sua mensagem. “Diga o que você quer dizer, diretamente e confiantemente,” diz Vardy. “Enquanto estiver falando, pare de pedir desculpas. Se você tem que se desculpar por algum motivo, diga a desculpa com um sorriso e siga em frente.”
  4. Para de inventar desculpas. Não tente explicar o porquê não daria, poderia ou não conseguiria fazer tal coisa. Ao invés disso, assuma responsabilidade pelos seu erros e não se preocupe em suavizar a verdade para doer menos ao outro. No longo prazo, criar desculpas acaba te usando mais energia do que simplesmente dizer a verdade.
  5. Para de se sentir culpado. Alguns dizem que a culpa é uma raiva que nós não deveríamos ter de nós mesmos. Se em algum momento a culpa te preencher, pare um momento para analisar no que está te levando isso. Uma pequena raivinha passageira é aceitável e te faz seguir em frente.
  6. Para de procrastinar. Sempre haverá emails para responder e conversas difíceis a ter. Quanto mais você odiar isso, mais vai se desgastar.  Dê a devida atenção ao que precisa ser feito para que você possa passar para as coisas que te dêem mais prazer.
  7. Não se compromete ao extremo. É legal dizer “não” às vezes, mas poucos de nós o fazemos. Você pode delegar, repassar ou às vezes fazer com menos vontade determinado trabalho.
  8. Para de passar muito tempo nas redes sociais. Ao invés de viver sua vida no Facebook ou Instagram, saia para a rua e converse com pessoas reais. Conecte-se, esteja curioso e tenha uma conversa para apenas aprender algo novo.
  9. Pare de de ensaiar a infelicidade. Os seres humanos tendem a negatividade e isso nos faz lembrar das coisas que não deram tão certo. O que nos ajuda a aprender sobre os nossos erros também podem nos fazer sentir ruins quando aplicamos um pensamento para o futuro. Quando você se pegar ansioso, pergunte-se a si mesmo “Eu realmente quero continuar ensaiando a infelicidade?”

Artigo original: Why You Should Make An Anti-Resolution List (And What To Put On It)