Puerto Escondido e suas praias

Agora sim, estávamos no paraíso, e olha que nem tínhamos ido visitar a cidade e as praias, mas só de acordar com aquele sol escaldante, e aquela piscina a nossa disposição no hostel, foi uma felicidade imensa.

Puerto Escondido é uma cidade litorânea, localizada a 800 km ao sul da Cidade do México, e banhada pelo Oceano Pacífico. Você pode chegar lá de ônibus, de van, e também com companhia aéreas locais, pois a cidade conta com um aeroporto pequeno.

A única informação que eu tinha sobre Puerto Escondido, é que a cidade é o paraíso dos surfistas, e sempre escutava sobre lá, no canal OFF, então não poderia perder essa. Não sou surfista, mas queria muito ver as ondas grandes, e tudo mais, né!? Segue um vídeo de uma série de surf, que catei no Youtube, só para mostrar minha expectativa para vocês:

https://youtu.be/uYI1QgxTMTA

Basicamente, Puerto é composta por sete praias, dentre elas, a famosa Zicatela, considerada um dos 20 melhores lugares para surf no mundo.

Nossa primeira descoberta, foi a Playa de Carrizalillo, que se localiza em uma caminhada de 15 minutos do hostel. Caminhada gostosa pelas ruas tranquilas, com restaurantes e cafés (el cafezito é o lugar, procure por ele). Achamos a entrada, e a escadaria de acesso à praia. Vimos que a descida ia ser longa, e a subida ia ser cansativa, mas como já sabemos, tudo que não é de tão simples acesso, vale a pena. E como vale!!

Já na escadaria começamos a ver entre as folhas das árvores uma parte da praia, e era tudo que pedimos a “Jah”!

Praia vazia, em torno de umas 10h da manhã, bares na beira da praia, areia curtinha, e mar calmo. Como ali é o Oceano Pacífico, pensava que a água seria bem fria, porém, mero engano. Água na temperatura ideal para curtir o sol escaldante. Uma delícia, gente. Só de lembrar, o sorriso vai de orelha a orelha. Bom, você pode optar por ficar na areia torrando, literalmente, ou alugar as cadeiras de praia, com guarda sol, nos bares, consumindo apenas 100 pesos mexicanos, o que equivale a R$20. Considerando que você vai precisar de água para se hidratar, e almoço – uma delícia de almoço, bem light para um dia de praia –  e mais a cerveja, vale muito a pena. E o atendimento do Miguel, foi sensacional.  Espero que ele ainda esteja lá! Procurem por ele, recomendo!

Assim que eu gosto:, simplicidade, mar, o sol e a cervejinha. Vida boa, né?!

A única coisa que eu achei chata, são os “amigos” oferecendo passeios para ver tartarugas, golfinhos e rotas de barco em geral. Mas eles estão ali fazendo o trabalho deles, com toda simpatia, e respeito, então, não é chato a ponto de estragar teu dia. Caso você opte por um passeio, nunca se esqueça de negociar o valor.

Depois de muito torrar no sol, e murchar naquela água maravilhosa, resolvemos ir conhecer o outro lado da cidade, mas claro, que com uma parada pra um banho de piscina no hostel Subidinha nível difícil se você estiver sedentário, após umas cervejas, e com sono. No caminho encontramos um brasileiro perdido, que estava em Zicatela, e nos deu a triste notícia que todos surfistas foram embora, pois sim, as ondas tinham ido embora. Como assim??!! A gente veio aqui só pra ver as ondas!! Pois é, não foi dessa vez! haha!

Combinamos com o Anderson de irmos para Zicatela a tardinha pra curtir um pôr-do-sol, e ver o que rolava pela noite. No hostel, encontramos um alemão, meio italiano, meio turco, chamado Mário, que foi nosso companheiro pelos próximos dias. Coitado! Mal sabia ele o que vinha pela frente, junto com três brasileiras loucas.

O táxi para Zicatela saiu 30 pesos, e deu tempo de curtir o pôr lindo que estava rolando – estava sem câmera, sorry –  tomando uma cervejinha na areia da praia (Nessa foto abaixo, vocês podem ver o tamanho que as ondas ficaram nesses dias. Cadê? Então, não tem, foram embora). Vibe boa, com pessoas do bem. Fomos para um bar que estava tocando uma musiquinha boa, para tomarmos mais umas, mas naquele dia, não estava acontecendo muita coisa, em função de ser baixa temporada, e muita gente ter ido embora.

Zicatela.

Basicamente, Zicatela é onde tem hotéis, por preços bons, na beira da praia, muitos bares, festas, festivais, e é o principal pico em Puerto Escondido.

Em Zicatela ainda, tem o bar kabbalah, que geralmente tem uma festa temática por dia, e nós escolhemos na terça, que era a noite “ladies free”. Bastante gente na média de 20 anos, mas uns “velhos” perdidos, tipo nós, também se encontravam lá. Música popular, música latina, e mesas na areia. A bebida “free” não foi das melhores, como já era de se esperar, e a cerveja não era gelada. O que restou? Ficar dançando na areia, e aprender salsa com o Mário (sim, o alemão italiano turco dançava salsa).

Conhecemos a Bahia de Puerto Angelito, que fica junto com a playa Manzanillo, que seria mais uma praia de pescadores, e não achei tão limpa. Já em Manzanillo,  o pessoal dos bares são mais invasivos, e a água também não estava muito limpa. Mas vale a pena ir e conhecer, pois como ela é considerada uma das praias boas de mergulho, acredito que tivemos um dia de má sorte. De lá, pegamos um táxi, por 30 pesos, até a Bahia Principal, que também não achei grande coisa, e é onde tem todo comércio de artesanato local, e bugigangas para presentinhos. Lis, do hostel, nos alertou ser um pouco perigoso por essa região, apesar de que não notamos nada de estranho, e nem nos sentimos inseguras.

Ficamos em Puerto Escondido por três dias, e deu pra conhecer quase toda cidade, mas eu senti falta de uns dias. Acredito que uma semana é bem tranquilo, e dê para aproveitar bem mais.

No final de todas as praias você encontrará a praia “La Punta Zicatela”, que o pessoal vai para aprender a surfar, e é um lado mais “roots” de lá. Ruas de areia, e a galera mais hippie. Bastante pousadas de europeus, que pelo jeito, largaram tudo por um vida mais tranquila. Gostei, e ali você também pode curtir um pôr bem bonito. Dependendo da maré, você pode subir nas pedras, e apreciar tudo com uma outra visão e uma “vibe” ótima.

La punta Zicatela.

Eu poderia ficar horas escrevendo sobre Puerto, pois como disse anteriormente, foi meu lugar favorito no México, e tem uma energia muito boa, além da tranquilidade. Mas vou encerrar por aqui, porque vocês já devem estar cansados, e espero que com vontade de conhecer esse paraíso.

Pessoal, fiquem ligados, que nos próximos posts falarei sobre as praias do mar do Caribe, tão procuradas por todos.

**********

Texto: Diana Pinto / @ababelada