22 de novembro de 2013

A Era dos campeões

image

Produção brasileira já está disponível para download nas lojas do iTunes em 102 países

Durante quase duas décadas, o “país do futebol” amargou decepções em série nas Copas do Mundo. Coincidentemente – ou não -, o jejum de títulos trouxe à cena outra categoria de heróis: os pilotos de Fórmula 1. No futebol o Brasil foi tricampeão no México em 1970, e só alcançou o tetra em 1994, nos Estados Unidos. Foi nesse vácuo de mais de 20 anos que o mundo da velocidade passou a ter respeito pelo automobilismo Brasileiro. Em 1972, Emerson Fittipaldi ganhou o primeiro título mundial de Fórmula 1 e em 1991, Ayrton Senna faturou seu terceiro titulo, o oitavo de pilotos brasileiros – dois de Emerson, três de Nelson Piquet e os três de Senna.

Produzido e dirigido por Cesario Mello Franco e Marcos Bernstein – roteirista de “Central do Brasil” -, “A Era dos Campeões” conta a saga dos três grandes pilotos, trazendo depoimentos de muitas personalidades, humor e emoção, além de imagens de arquivo inesquecíveis. Primeira produção brasileira com lançamento global, o documentário estará disponível a partir dessa semana – 21 de novembro – nas lojas do iTunes em 102 países, traduzido para 12 línguas: Inglês, Francês, Espanhol, Italiano, Alemão, Russo, Dinamarquês, Finlandês, Sueco, Norueguês, Holandês e Japonês.

Cesario Mello Franco identifica um aspecto antropológico interessante retratado no documentário: “O Brasil vivia a ditadura e logo após sofreu uma forte recessãoeconômica. Figuras como Fittipaldi, Piquet e Senna fizeram com que brasileiros de todas as classes sociais fizessem das corridas um programa obrigatório na TV aos domingos e vibrassem com as suas vitórias.” Os três pilotos juntos venceram 78 GPs nos 20 anos documentados pelo filme – 14 vitórias de Fittipaldi, 23 de Piquet e 41 de Senna. Além dos oito títulos mundiais, conquistaram três vice-campeonatos. O período retratado pelo filme foi de encantamento, que merecia muito ser guardado e registrado”, lembra Cesario. “Senna teve grande influência no resgate da autoestima do brasileiro ao transformar sua marca registrada de comemorar as vitórias desfraldando a bandeira brasileira em pleno cockpit”.

O sucesso e popularidade que os brasileiros alcançaram ao redor do mundo justifica, segundo o cineasta, a estratégia de lançamento global do documentário: “Além do Brasil, há muitos fãs dos três, sobretudo de Senna, no Japão, Itália e Inglaterra. Já Fittipaldi fez muito sucesso nos Estados Unidos, onde disputou algumas temporadas da Fórmula Indy e venceu a Indianapolis 500 por 2 vezes”.
FORÇA DOS DEPOIMENTOS

Para Marcos Bernstein, o maior trunfo do documentário é “a qualidade e sinceridade dos depoimentos”: “Quando assisto hoje ao filme, tenho a convicção de que o material que colhemos era mais do que jornalístico, era histórico. Essa consciência só veio com o tempo que ele levou para ser concluído. O produto final ficou com uma cara bacana, que não está envelhecendo”. “A era dos campeões” levou dez anos para ser finalizado. O documentário começou a ser produzido em 2001, quando Rubens Barrichello dava os primeiros passos na Ferrari. “Achávamos que poderia ter início ali um novo ciclo de brasileiros campeões”, conta Marcos Bernstein, que teve no filme, sua estreia como diretor.

“Sempre gostei de Fórmula 1 e, juntamente com o Cesário, vi ali um mundo interessante para explorar”, acrescenta. Todas as entrevistas foram feitas pela equipe do filme, à exceção daquelas com Ayrton Senna, que morrera em 1994, e foram garimpadas em arquivos de TV. O material bruto somou mais de 50 horas de entrevistas, tanto com os campeões, quanto com outros grandes pilotos da história do Brasil, como Wilson Fittipaldi, Roberto Pupo Moreno, Ingo Hoffmann, Chico Serra e Mauricio Gugelmin.

Trailer: http://we.tl/XVy8l65mRd
FICHA TÉCNICA:
País de produção: Brasil
Ano de produção: 2012
Produção: Hangar Filmes
Direção e Roteiro: Cesario Mello Franco e Marcos Bernstein
Produção executiva: Mariza Figueiredo
Fotografia: Toca Seabra
Montagem: Marcelo Moraes e LiviaArbex
Pesquisa: AntonioVenancio
Consultoria Técnica: Celso Itiberê
Duração do filme: 75 minutos
Classificação: 10 anos