3 de setembro de 2015

África do Sul vem forte para o Desafio Piraquê Raia Rápida

Treino, Botafogo

Foto: Satiro Sodré //

Roland Schoeman, Gerhard Zandberg, Giulio Zorzi se juntam ao estreante Bradley Tandy. Evento que conta com estrelas da piscina acontece no dia 13/9, no Mourisco Mar, em Botafogo. 

Após estrear no DESAFIO PIRAQUÊ RAIA RÁPIDA no ano passado, a África do Sul volta forte à competição deste ano, buscando superar Brasil, Estados Unidos e Itália para conquistar o título do evento de natação. Com o experiente Roland Schoeman (borboleta) na equipe, além de Gerhard Zandberg (costas), Giulio Zorzi (peito) e Bradley Tandy (livre) no time, os sul-africanos prometem dar muito trabalho na piscina do Mourisco Mar (Botafogo), no dia 13 de setembro.

Schoeman é um dos principais nadadores do país e conta com três medalhas olímpicas no currículo. O experiente competidor, de 35 anos, também possui dois ouros em Mundiais: Montreal-2005 e Melbourne-2007, na prova dos 50m. Ele falou sobre o desafio e como está empolgado com os Jogos Rio 2016.

“Cada nadador que participa do Desafio Raia Rápida é um competidor duro. Não consigo focar nos outros participantes, pois não posso controlar suas performances. Posso controlar somente a minha. Estou treinando muito forte e de forma inteligente para conseguir uma vaga para a minha quinta Olimpíada”, explica Schoeman, que já praticou críquete, futebol, tênis, rugby e atletismo antes de se dedicar totalmente à natação e também torce para o Flamengo no Brasil.

O início da trajetória do esportista é, no mínimo, peculiar. “Comecei a nadar aos 14 anos, para impressionar uma menina que estava na equipe. As pessoas que mais me influenciaram na natação foram minha mãe, meu ex-técnico, Gavin Ross, e Alexander Popov”, revela o campeão olímpico nos 4x100m livre, medalha de prata nos 100m livre e medalha de bronze nos 50m livre nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. Schoeman foi o primeiro atleta sul-africano a conquistar medalha em um mundial da modalidade.

Outro forte competidor que pretende obter bons resultados no Desafio, e que está de olho na vaga olímpica, é Giulio Zorzi. O atleta da modalidade peito é engenheiro civil fora das piscinas. Ele já praticou ginástica, futebol, rugby e pólo aquático antes de focar somente na natação.

“Comecei a nadar desde cedo para competir com meu irmão mais velho, que começou a nadar antes de mim. Venho treinando bastante para me preparar forte para as próximas competições, tentando corrigir meus pontos fracos de temporadas anteriores. Me inspiro nos meus primeiros técnicos, que me fizeram focar na minha técnica. Não tenho nenhum nadador específico como exemplo, mas tento absorver pequenos aprendizados de outros grandes nadadores”, comenta Zorzi.

Os torcedores também devem ficar de olho em Bradley Tandy. O estreante na competição possui uma das saídas mais rápidas na modalidade. Em 2014, nos 50m livre, fez os primeiros 15 metros em 4s84, um dos poucos registros da história abaixo dos cinco segundos.

Na quarta edição do DESAFIO PIRAQUÊ RAIA RÁPIDA, enquanto a África do Sul busca seu primeiro título, Brasil e Estados Unidos lutam pela segunda conquista, e a Itália faz sua estreia na competição, substituindo a equipe australiana, campeã da edição de 2013. Com seleções da elite do esporte no mundo, o Desafio tem um gostinho de prévia dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, para grandes nomes da natação internacional.