23 de janeiro de 2016

Africanos vencem a Corrida de São Sebastião CAIXA

Pódio feminino da Corrida de São Sebastião Caixa 2016

Foto: Fernando Vieri //

Evento comemorou o feriado do padroeiro do Rio de Janeiro e reuniu cinco mil atletas no Aterro do Flamengo na manhã da última quarta-feira.

As comemorações do feriado de São Sebastião comemeçaram bem cedinho, com a realização da tradicional Corrida de São Sebastião CAIXA na manhã da última quarta-feira, dia do santo padroeiro da Cidade Maravilhosa. O tempo nublado, a chuva fina e a temperatura na casa dos 23°C, condições climáticas atípicas do Verão carioca, não tiraram a animação dos cinco mil corredores que foram ao Aterro do Flamengo, Zona Sul do Rio, participar das provas de 5k e 10k do evento que abre o calendário esportivo da Cidade Olímpica.

O pelotão de elite dos 10km apresentou disputas acirradíssimas do início ao fim da prova. O etíope Dawit Fikadu Admasu conquistou o lugar mais alto do pódio masculino e ainda cravou um novo recorde da prova, concluindo o percurso com o tempo de 00:29:09. Logo atrás, colado no vencedor, chegou o queniano Willian Kibor, com o tempo de 00:29:24. O terceiro lugar ficou com o tanzaniano Joseph Tiophil Panga, que cruzou a linha de chegada aos 00:29:41.

“Essas corridas mais rápidas costumam ser difíceis por causa das condições climáticas. Mas eu ganhei e estou feliz. É a primeira vez que venho ao Rio”, disse Dawit Fikadu Admasu, ainda ofegante.

Já entre as mulheres, Failuna Abdi Matanga, da Tanzânia, levou a melhor, faturando o título com o tempo de 00:33:59. O segundo lugar ficou com Carolyne Chemutai Komen, do Quênia, que fez o percurso em 00:34:22. O terceiro lugar do pódio feminino foi ocupado pela brasileira Joziane Cardoso da Silva, que cruzou o pórtico de chegada aos 00:34:31.

Mas a festa na arena da Corrida de São Sebastião CAIXA não foi só dos corredores profissionais. Os atletas amadores estavam animados e fizeram uma boa farra no Aterro do Flamengo. Famílias, casais, crianças, cariocas, fluminenses, participantes de outros estados e até mesmo países, como o inglês Michael Long, de 35 anos, que veio de Londres para o Rio apenas para participar da prova e concluir um desafio que ele estabeleceu para si: correr em todas as cidades olímpicas da história dos Jogos.

“Apesar de não ter feito sol hoje, percebi que a cidade é quente (risos). Mas eu amei a corrida. O percurso é muito agradável. Agora terminar o meu desafio me dá uma sensação estranha. Parece que não acabou ainda”, diz Michael, que após as Olimpíadas de Londres, em 2012, participou de corridas de rua em 23 cidades olímpicas ao redor do mundo, fechando a jornada no Rio de Janeiro.