9 de maio de 2017

Apresentação Equipamentos Veleiros do Sul

IMG_2291

Foto: Ricardo Pedebos //

Jair Pereira e Lars Grael, presidente e superintendente técnico do CBC vieram a Porto Alegre para a cerimônia e falaram sobre a nova formação da vela brasileira a partir dos projetos esportivos.

A apresentação de Equipamentos adquiridos por meio dos convênios entre o Veleiros do Sul e Comitê Brasileiro de Clubes foi mais do que uma simples amostra de materiais. O evento no último sábado pela manhã no Clube configurou a dimensão dos Projetos de Formação de Atleta e Olímpica, que construirão uma nova base não só para o VDS mas para a vela brasileira, com implicações positivas no futuro.

O presidente do Comitê Brasileiro de Clubes Jair Pereira e o Superintendente Técnico da CBC vieram de São Paulo para a Apresentação dos Equipamentos e Materiais adquiridos nos Editais: nº 01 / Convênio nº 04 – R$ 1.502.513,68 e nº 05 / Convênio nº 51 – R$ 1.067.008,04. O total de aquisições com esses recursos foram: 65 barcos da classe Optimist, nove da classe Laser, quatro da classe 420, um da classe 470, nove botes, além de equipamentos de rádios, coletes, entre outros. Jair e Lars foram recebidos pela Comodoria do VDS liderada por Eduardo Ribas.

A programação do evento iniciou as 10h40min com a palestra do Dr. Eduardo de Rose, médico do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Membro da Comissão Médico e Cientifica do Comitê Olímpico Internacional (COI) e com participação em 16 Olimpíadas. Ele foi a presentado pelo velejador e árbitro internacional de vela Nelson Ilha.

O Dr. de Rose falou para uma plateia com cerca de 120 pessoas, inclusive alunos da Escola de Vela Minuano e flotilha Minuano de OP. O tema abordado foi uma breve história do doping, o desejo psicológico do homem de maior vigor e força e suas consequências e danos para a saúde do ser humano.

Iniciou com relatos da antiga China e Grécia, a Olimpíada de 1936, como marco na Olimpíada moderna, até os dias atuais. E explicou sobre os procedimentos no controle do doping. “ Acho importante mostrar para as crianças que estão começando na vela um pouco sobre esse assunto”, comentou. O seu relato foi muito interessante e ao finalizar recebeu muitos aplausos. O Veleiros do Sul aderiu à campanha #JOGOLIMPO antidopagem do Ministério do Esporte que é conduzida pela Autoridade Brasileira de Dopagem.

Depois todos seguiram até o pátio do Clube onde estavam os barcos montados para a cerimônia de apresentação. Houve o hasteamento de bandeiras e logo após o Comodoro Eduardo Ribas falou sobre os Projetos Esportivos do Veleiros do Sul.

“Ficamos contentes por fazer esses recursos chegarem até a ponta, a vela de base. São recursos bem aplicados na construção de um futuro que já é presente. Nossa escola não é só vela, mas também a busca da formação de cidadãos. Queremos que esses jovens sejam vencedores na vida, além de um dia representarem bem o Brasil nas competições de vela”.

O presidente Jair Pereira falou aos presentes sobre as verbas repassadas pelo CBC para os projetos esportivos. “Esses recursos na verdade não são dos clubes mas pertencem a vocês, crianças, que hoje estão no início da vida esportiva. Nós conseguimos fazer com que estes barcos e equipamentos estejam à disposição da base da vela e da formação Olímpica. Nos orgulhamos de não desperdiçarmos nenhum recurso. Conseguimos descentralizar as verbas para que cheguem a todos”.

O responsável técnico do CBC Lars Grael também se dirigiu aos jovens ao falar das dificuldades enfrentadas no passado pelo esporte da vela e sobre a trajetória do Veleiros do Sul. “Porto Alegre sempre foi um polo da vela nacional. O Veleiros do Sul tem mantido essa tradição neste esporte. Os seus projetos esportivos confirmam isso”. Ele também comparou os tempos atuais com o passado.

“Quando eu iniciei na vela as dificuldades eram muitas, tudo dependia da abnegação dos velejadores que não contavam com nenhum apoio governamental. Hoje isso mudou, há uma estrutura e temos grande esperança de vermos vocês representando o Brasil nas principais competições”, disse Lars que conquistou duas medalhas olímpicas para o Brasil.

Ao encerramento dos pronunciamentos foram escolhidos um barco de cada classe: 470, 420, Laser e Optimist para o batismo simbólico da flotilha. Como manda a tradição foi realizada somente por mulheres e com bebida. As velejadoras Eduarda Claudino, Júlia Silva, Martine Szabo, Ana Barbachan e a técnica Carol Boening estouraram um champanhe e derramaram pelos conveses das embarcações. Em seguida todos os velejadores presentes pegaram seus barcos e foram para a água. Na área demarcada por boias em frente ao clube fizeram um desfile para os associados e convidados e assim encerraram o evento.