23 de maio de 2017

Bianchini e Alencar no pódio na estreia no Rally Erechim

312483_704839_img_9800

Foto: Divulgação //

Após três dias de disputa e 12 Especiais, dupla da Bianchini Rally fecha em 3º no Campeonato Gaúcho e, em 5º no Campeonato Sul-Americano de Rally de Velocidade, na categoria RC4.

Terminou, no último domingo, a maior e mais importante prova de rali de velocidade do país, válida pela 2ª etapa do Campeonato Sul-Americano (FIA-Codasur) e também pelos Campeonatos Brasileiro (3ª e 4ª etapas) e Gaúcho (3ª e 4ª etapas). Grandes nomes da modalidade estiveram reunidos desde quinta-feira, 18, na cidade de Erechim, no Rio Grande do Sul. Fabrício Bianchini e Damon Alencar, da Bianchini Rally, estrearam com pódio no grid da 20ª edição do Rally Erechim. A dupla foi a terceira mais rápida da categoria RC4 (carros com tração 4×2) pelo Campeonato Gaúcho e, de quebra, classificou-se na quinta posição pelo Campeonato Sul-Americano.

Bianchini e Alencar chegaram sem expectativa de resultados a Erechim, uma vez que o objetivo era completar a prova, com foco no aprendizado e subir ao pódio foi uma grata surpresa. “Não viemos atrás de resultado mas para adquirir experiência e sair com um troféu na mão foi demais, ainda mais, em meio a esses ícones com nível de pilotagem fantástico. Nossa estratégia deu certo e conquistamos esse resultado que superou as expectativas”, comemora o piloto.

Com uma trajetória de 25 anos no off-road, sobretudo no Rally Cross Country, Bianchini iniciou no rali de velocidade nessa temporada. “O mais importante foi colocar em prática o que combinamos: ter cabeça para não danificar o carro, fazer uma prova redonda com mais cautela e ganhar quilometragem. Adorei a experiência, pois era um sonho fazer a prova de Erechim. Foi um aprendizado gigante e quero ressaltar que o Damon fez uma navegação perfeita”, completa o gaúcho de Porto Alegre, mas que reside em Barueri, São Paulo, há mais de duas décadas.

“Realmente Erechim é tudo que tinha ouvido falar. Uma prova fantástica, muito técnica e difícil, com trechos cronometrados entre lugares belíssimos”, enfatiza Alencar. “Como era nossa primeira vez, traçamos uma estratégia conservadora, poupando o carro pela nossa falta de experiência, porque essa prova não admite erros e terminar em 3o no Gaúcho e em 5o. no Sul-Americano (na categoria) foi um presente”, explica o navegador de Campinas (SP), que diferentemente do piloto, compete desde 2010 no rali de velocidade.

Mas um fato que impressionou a ambos foi a presença do público. De acordo com os organizadores, nestes quatro dias de evento, aproximadamente 50 mil pessoas circularam no rali. “O público que prestigiou o rali é uma atração à parte, nunca havíamos visto isso. Ao longo das Especiais sempre havia gente torcendo, vibrando e mostrando a paixão por nosso esporte, por tudo isso, é de longe o melhor rali de velocidade do país. Foi um prazer estar aqui, quero muito voltar, agradeço demais a equipe Cotton Motorsport que nos atendeu prontamente”, finaliza.

Devido à chuva que começou no sábado à tarde, alterando as condições do piso, foi cancelado o último trecho cronometrado. O Super Prime de 3,6 quilômetros seria disputado, de dois em dois veículos, no Parque da Accie e valeria pela 13ª Especial. No total as 76 duplas do Brasil, Paraguai, Argentina, Uruguai e Bolívia percorreram mais de 150 quilômetros de trechos cronometrados.

Os campeões da 20º Rally Erechim na geral foram os argentinos Marcos Ligato/Ruben Garcia #2 com 1h41min06 pelo Campeonato Sul-Americano. Já a dupla Vitor Fischer/Sidinei Broering #30 foi a vencedora pelo Campeonato Brasileiro e Juliano Sartori/Rafael Sartori #27 pelo Campeonato Gaúcho. Participaram da disputa cinco categorias: RC2, RC2N, RC3, RC4, RC5 e RCR. Resultados completos da classificação após 12 Especiais no http://www.rallyerechim.com/temposonline