Roland Garros com a maior delegação dos últimos 20 anos

Foto: Cristiano Andujar //

Tênis brasileiro conta com 13 tenistas profissionais competindo entre chaves principais e qualifying masculino e feminino no Grand Slam mais charmoso do tênis.

O tênis brasileiro iniciou ontem a participação no mais charmosos dos quatro torneios de Grand Slam: Roland Garros, em Paris, na França. E nesta edição o Brasil tem sua delegação mais numerosa de jogadores profissionais em mais de 20 anos, com o total de 13 tenistas entre os que disputam os qualifyings masculino e feminino, as chaves principais masculina e feminina de simples e duplas.

O qualifying masculino abre as atividades em Paris com quatro brasileiros em ação: o cearense Thiago Monteiro, que faz sua estreia em quali de Grand Slams no profissional, os gaúchos André Ghem e Guilherme Clezar e o paulista João Souza, o Feijão. Neste ano o Brasil também tem duas participantes no qualifying feminino, com as paulistas Beatriz Haddad Maia e Paula Gonçalves, que faz sua estreia em um quali de Grand Slam.

Teliana Pereira tem sua presença assegurada na chave principal feminina de simples, enquanto na masculina o Brasil já tem dois representantes: Thomaz Bellucci, que vem de uma boa campanha no Masters 1000 de Roma e disputa nesta semana o ATP de Genebra, na Suíça, em busca da defesa do título conquistado em 2015, e Rogerio Dutra Silva, que conquistou neste domingo o oitavo título de challenger da carreira em Bordeaux, na França.

Atual campeão de duplas de Roland Garros, o mineiro Marcelo Melo puxa a fila de mais quatro tenistas brasileiros que competem nas duplas em Paris. Número 1 do ranking mundial, Melo joga novamente ao lado do croata Ivan Dodig. Bruno Soares, que vem de título no Australian Open ao lado do britânico Jamie Murray, repete a formação na França em busca do título inédito.

André Sá joga sua 17ª edição seguida de Roland Garros, mais uma vez nas duplas, ao lado do australiano Chris Guccione, enquanto o gaúcho Marcelo Demoliner forma dupla com o croata Marin Draganja no Grand Slam francês. Além de jogar a chave masculina de simples, Thomaz Bellucci também disputará as duplas ao lado do eslovaco Martin Klizan em Roland Garros.

Nem mesmo na Era Guga, entre os anos de 1996 e 2008, o Brasil teve o mesmo número de tenistas participantes em Roland Garros entre chaves e qualifying. Em 1996, eram apenas seis jogadores competindo, sendo todos do masculino e nenhum na chave de duplas. O número mais próximo que o Brasil chegou a ter de tenistas nas últimas duas décadas foi nos anos de 2009, 2010 e 2011, já no início do patrocínio dos Correios à Confederação Brasileira de Tênis, quando o país contou com o total de 12 participantes em Paris, mas sem representação feminina em chaves principais e no qualifying.

Os tenistas André Sá, Beatriz Haddad Maia, Bruno Soares, Guilherme Clezar, Marcelo Demoliner, Marcelo Melo, Paula Gonçalves, Rogerio Dutra Silva, Teliana Pereira, Thiago Monteiro e Thomaz Bellucci são atletas que recebem patrocínio CBT/Correios.

Neste ano o torneio é fundamental para os tenistas brasileiros, pois antecede os rankings que serão usados como base na classificação para os Jogos Olímpicos Rio 2016, no dia 6 de junho, sendo que uma boa campanha em Roland Garros pode garantir vaga no torneio olímpico.