28 de outubro de 2014

Brasil Ride 2014 celebra seus campeões!

imagem_release_308011

Foto: Fabio Piva //

Grande final contou com cerca de 1 mil ciclistas na Chapada Diamantina – Bahia, entre os participantes que concluíram o sétimo dia da Ultramaratona de Mountain Bike e a etapa final da prova de maratona, válida pelo Campeonato Baiano de MTB.

A quinta edição da Brasil Ride, principal Ultramaratona de Mountain Bike das Américas, revelou seus grandes campeões no último sábado ensolarado em Mucugê, após 7 dias de muito pedal pelas espetaculares trilhas da Chapada Diamantina, na Bahia.

“Todos estão de parabéns pela coragem de encarar esse desafio. Independente se o atleta é “finisher” ou não, pois durante uma semana de pedal tudo pode acontecer. Temos exemplos de atletas profissionais que infelizmente não chegaram ao fim, mas o que importa é que vocês foram guerreiros de participarem da principal Ultramaratona de MTB das Américas”, comentou Mário Roma, durante o jantar de premiação da prova.

Brasil Ride exerce um papel fundamental no desenvolvimento do esporte olímpico, além da proporcionar uma experiência de vida a todos os envolvidos no evento:

“Sem dúvida, é uma oportunidade única de fomentar o esporte olímpico, nesse momento de foco total na busca de excelência da Olimpíada, na busca da medalha, é o queremos, a gente acredita que realmente é possível, por isso essa chance de conquistar pontuação dos atletas profissionais no ranking olímpico é muito satisfatório”, comenta João Henrique Guntzel, da Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento (Snear) que pertence ao Ministério do Esporte.

Na prática, pedalar cerca de 600km, percorrendo montanhas que somam quase 13 mil metros de subidas acumuladas, equivalente a quase duas vezes a subida do ponto mais alto do mundo, o Monte Everest (8.848m): “Dói, dói, dói tudo nessa, mas é bom, muito bom! “Que bonito, que bacana, que demais!” foram alguns dos jargões usados pelo locutor Maquininha para descrever a dureza superada ao longo dos sete dias de prova.

A equipe Superior Brentjens Mountain Bike Racing consagrou-se a grande campeã da 5ª edição, após vencer o estágio da grande final, que contou com 61,8km de percurso e 926m de altimetria acumulada:

“Ganhamos a prova quando conseguimos uma diferença de 10 minutos. Hoje fizemos o que tínhamos que fazer”, comentou Hans Becking que dicas do chefe da equipe Bart Brentjens. O time fechou a competição com o tempo acumulado de 26 horas, 05 minutos e 47 segundos.

A decisão pelo título geral foi apertada, com apenas 2 minutos de diferença de tempo, que separavam três equipes da glória: Protek Team, Caloi Elite Team e Superior Brentjens Mountain Bike Racing.

“É como um sonho realizado. Hoje doeu muito. Meu parceiro Jiri Novak é muito forte. Nós atacamos no primeiro singletrack, mas Tiago e Periklis não queriam deixar isso acontecer e nos passaram. No asfalto “mandamos bala” para entrar na frente na segunda trilha e deu tudo certo!”, acrescentou Hans Becking, em que o segredo da vitória da equipe foi a constância durante a semana.

Na segunda colocação ficou a equipe da Trek Factory Racing, formada por Ricardo Pscheidt e Sérgio Mantecón: “Pra mim foi uma competição especial, por todas as pessoas que eu convivi nessa última semana, levo na bagagem essa experiência com vários amigos que eu fiz nesses dias”, descreve o catarinense Ricardo Pscheidt, demonstrando que o evento é muito mais do que uma competição por etapas.

A revelação do dia foi a equipe JC Bikes, com Raphael Mesquita “Catalão” e Halysson Ferreira, que faturaram o “Desafio Oakley Brasil Ride” com um ataque fulminante no asfalto e no final ainda conseguiram assegurar o top 3 geral novamente.

“Fechamos com chave de ouro Graças a Deus. Fizemos um ataque suicida no asfalto para pegar a premiação da Oakley. Falei para meu parceiro que tínhamos que nos concentrar na etapa e a estratégia foi acelerar para tentar um pódio. Estou bem feliz e subir no pódio com essas feras aqui é uma grande realização”, comenta Catalão.

Para o português Tiago Ferreira, que participa pela quarta vez na Brasil Ride: “É um sabor amargo perder a camisa amarela no último dia, mas espero poder lutar pela vitória no próximo ano.”

Os melhores brasileiros, Henrique Avancini e Sherman Trezza da equipe Caloi Elite, que estavam na briga, infelizmente tiveram um pneu furado, o que aniquilou a chance da vitória na classificação geral, mas garantiu o título na categoria de melhor das “Américas”!

“A Brasil Ride deixa um legado muito forte para o desenvolvimento do mountain bike Olímpico, apesar de ser disputada no formato ultramaratona, a pontuação conta para a classificação dos jogos Olímpicos. Além disso agente tem essa como a única prova realmente de nível internacional realizada no país. Então agente conta com a participação de bons atletas e renomados internacionalmente,” comenta Avancini que despede-se da equipe Caloi e passa a defender o time da Cannondale Factory Racing até os Jogos Olímpicos 2016.

As mulheres brasileiras também conquistaram um grande destaque, já que o time da seleção brasileira formado por Isabella Lacerda e Érika Gramiscelli conquistaram a vitória na última etapa e asseguraram o título de melhor time das Américas. “Eu sabia que a gente poderia terminar bem, pois tem muita trilha e temos grande facilidade de andar na parte técnica…e deu tudo certo, estamos muito felizes com essa prova.”

A equipe feminina campeã geral foi o time norte-americano NoTubes / Ergon, formado por Sonya Looney e Nina Baum, que ficaram na segunda colocação no último dia.

“Estou muito feliz de conseguir terminar. Fique doente na noite anterior, tive febre durante toda a noite e estava preocupada com a etapa final. Por isso saímos para pedalar tranquilas e nosso objetivo era completar”.

Na categoria mista, o título ficou com o time Niner / Shimano formado por Mateus Ferraz e Ivonne Kraft, que venceu a última etapa, faturando 5 das sete etapas. Com esse resultado, a ciclista alemã conquista seu quinto título, já Mateus conquista o tetracampeonato.

Na categoria Máster, o título da Brasil Ride 2014 ficou com o time Superior Brentjens, formado por Bart Brentjens e Abraão Azevedo, com destaque para o pentacampeonato de Abraão na competição: “O Bart é um grande companheiro. Ele é sempre veloz e essa é a terceira vez que corremos juntos e o terceiro título”, comenta o campeão mundial máster Abraão Azevedo, que referiu-se aos dois títulos na Brasil Ride e um na Cape Epic.

Na categoria Grand Máster, o título ficou com o pessoal de Brasília/DF, Heleno Borges que conquistou seu segundo título, e seu companheiro Paulo Vasconcellos (TEAM KONSK / CICLORACE). “Em provas nacionais somos ele (Paulo) é meu adversário, mas aqui formamos uma ótima equipe e fico muito feliz com o bicampeonato, e ver que meu treinamento está surtindo efeito”, explica Heleno Borges, que faz o próprio treinamento.

A categoria mais disputada foi a categoria Corporativa, formada por 3 atletas que competem em revezamento. “Eu nunca tinha vivido uma experiência tão difícil na bicicleta, foi uma das coisas que mais difíceis que eu já enfrentei na minha vida… Mas o que compensa esse esforço todo é a companhia, as amizades, a paisagem maravilhosa,” descreve Caio Guatelli, ciclista profissional nos anos 90, que sagrou-se vice-campeão. “A vida é difícil e isso aqui é um espelho da vida, essas montanhas, essas pedras, a superação é o resultado disso tudo. Isso aqui é uma lição de superação”.

“Sem dúvida é uma experiência única, eu já estou participando pela terceira vez e só por estar na minha cidade com o meu povo aqui já é uma honra para mim. “Nossa equipe está de parabéns, meus dois amigos que também são filhos de Mucugê. A união faz a força e nós mostramos isso,” completa Jooab, da equipe de Mucugê.