Brasil vence Cuba e encerra primeira fase invicto

Fotos: Divulgação-FIVB //

Sequência de jogos contra Alemanha, Tunísia, Finlândia, Coréia do Sul e Cuba foi de resultados positivos para a seleção de Bernardinho.

A seleção brasileira masculina de vôlei encerrou a primeira fase do Campeonato Mundial de forma invicta. A equipe comandada pelo técnico Bernardinho derrotou Cuba, neste último domingo, por 3 sets a 1 (22/25, 25/23, 25/18 e 25/17), em 1h46, na Spodek Arena, em Katowice, Polônia. Nos jogos anteriores, o Brasil venceu Alemanha, Tunísia e Finlândia, por 3 sets a 0, e Coréia do Sul, por 3 a 2.

Primeiro colocado do Grupo B na primeira fase, o Brasil segue, agora, para o Grupo F e permanece na cidade de Katowice. As demais seleções desta mesma chave são Rússia, Alemanha, Canadá, Bulgária, Finlândia, Cuba e China. O outro grupo com os times que seguem adiante no Mundial, o grupo E, contará com Polônia, França, Sérvia, Irã, Estados Unidos, Argentina, Itália e Austrália.

A trajetória da seleção brasileira na próxima fase também já está definida. Os adversários serão Bulgária (dia 10), China (dia 11), Canadá (dia 13) e Rússia (dia 14). Os quatro jogos acontecerão às 16h40, na Spodek Arena, em Katowice.

Neste domingo, no último jogo da primeira fase, o Brasil contou com boa atuação da dupla de centrais, Sidão e Lucão. Cada um marcou 10 pontos e saíram de quadra com o maior número de acertos. O maior pontuador do jogo, no entanto, foi o cubano Mesa, com 16 pontos. Outro ponto alto da seleção verde e amarela ficou por conta da volta do levantador Bruninho, que ficou de fora dos dois últimos jogos por uma leve contusão na mão direita.

“Hoje pensei mais em tentar dar uma motivação no grupo do que ser perfeito tecnicamente. Paramos de errar e passamos a jogar com uma atitude mais agressiva. Naquele momento precisava de um choque e a minha entrada, junto com o Lipe, que também tem essa característica, conseguiu dar uma motivada no time e demos a volta por cima. Sabemos que o Brasil tem 14 jogadores que podem entrar e virar uma partida”, disse Bruno.

Junto com o levantador, entraram o oposto Vissotto e o ponteiro Lipe. “Essa é uma seleção e não apenas seis ou sete jogadores e isso é sempre muito importante, ainda mais em um Mundial, que é um campeonato muito longo. A entrada de jogadores como eu e o Bruno, que somos mais de contagiar o time, acabou sendo bom para o grupo”, comentou Lipe.

O técnico Bernardinho repetiu o discurso sobre o valor do conjunto que tem em mãos. “O mais importante é a avaliação que tivemos de que um grupo de 14 jogadores pode nos levar a um ponto alto, onde nós queremos chegar, que é brigar pela medalha de ouro”, concluiu Bernardinho.