Brasil x Argentina na Copa Davis 2015

Foto: Cristiano Andujar //

Retorno ao Grupo Mundial terá clássico fora de casa entre 6 e 8 de março.

O sorteio da Copa Davis por BNP Paribas 2015 realizado nesta quinta-feira em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, colocou o Time Correios Brasil para enfrentar a Argentina fora de casa na primeira rodada do Grupo Mundial da competição entre os dias 6 e 8 de março do próximo ano.

De volta à elite da Copa Davis, a Copa do Mundo do Tênis, o time brasileiro comandado pelo capitão João Zwetsch terá um clássico diante dos vizinhos sul-americanos depois de 35 anos do último confronto envolvendo os dois países.

Zwetsch analisou o confronto e ressaltou que preferia dentre todas as possibilidades ter a opção de jogar em casa. “É um confronto bem complicado também. A nossa torcida, como a gente vinha falando, era para jogar no Brasil, independente de contra quem fosse. Sabíamos que qualquer equipe adversária neste Grupo Mundial seria muito difícil”.

“Confrontos entre Brasil e Argentina são sempre muito emocionantes e vibrantes, existe a questão da rivalidade sempre presente em qualquer que seja a esfera de Brasil e Argentina. Espero que a gente possa mais uma vez enfrentar como a gente vem enfrentando confrontos difíceis como este, de forma brava e corajosa como fizemos contra a Espanha no Ibirapuera”, completa Zwetsch.

Depois de ter contado com o forte apoio da torcida jogando em casa, João Zwetsch sabe que diante da Argentina a pressão do público será grande a favor do time da casa e coloca os argentinos como favoritos, mas vê boas oportunidades também para o time brasileiro.

“A gente sabe que jogar em casa é uma vantagem importante dentro de um confronto de Copa Davis e eles, com certeza, vão saber usar isso a favor lá na Argentina. Acho que vai ser ao mesmo tempo muito interessante esse confronto, as duas equipes são fortes”, afirma o capitão brasileiro.

“Acho que no contexto geral a Argentina é favorita pela equipe que tem, e se o (Juan Martin) Del Potro jogar, fica ainda mais complicado. Mas mesmo o Del Potro não jogando, a Argentina tem uma equipe mais consistente que a brasileira, mas estamos acostumados com isso”, explica João, que terá até o dia 24 de fevereiro para definir a equipe.

“Vamos torcer para que até lá um dos nossos outros jogadores possa disputar de forma contundente, ter resultados expressivos em torneios grandes, ganhar de jogadores de nível alto para que possa se candidatar a entrar na equipe com Thomaz, Bruno e Marcelo para deixá-la ainda mais competitiva”, finaliza o capitão que pela segunda vez leva o país ao Grupo Mundial da Copa Davis.

Brasil e Argentina vão se enfrentar pela oitava vez na competição e contam com um histórico de cinco vitórias argentinas e duas brasileiras. O último confronto envolvendo os dois países foi em 1980, em São Paulo, com vitória da equipe argentina formada por Jose Luis Clerc e Guillermo Vilas contra o Brasil de Carlos Kirmayr e Thomaz Koch.

O time brasileiro vem de uma grande vitória diante da Espanha no Playoff do Grupo Mundial disputado no último fim de semana em São Paulo. A Argentina também disputou o Playoff, vencendo Israel em confronto disputado nos Estados Unidos.