Campeonato Mundial de Mountain Bike

Foto: Divulgação //

Em busca do sonho olímpico, ciclista brasileira está na Noruega para a competição internacional mais importante do ano.

A ciclista Érika Gramiscelli, de 30 anos, disputa neste próximo sábado, a partir das 06:50 da manhã, com transmissão ao vivo pelo Red Bull Bike, o Campeonato Mundial de Mountain Bike 2014, modalidade cross country olímpico (XCO), em Hafjell, Noruega. Para assistir acesse o link: http://win.gs/1oCFTRn

“Fizemos um trabalho nesses 15 dias de recuperação, pra ajudar na regeneração do corpo, nessa época do ano com o acumulo de competições é normal estar cansada. O importante é que estou bem mais preparada psicologicamente e, sem dúvida, farei meu melhor neste Mundial! Todo sacrifício vale a pena diante da alegria que é representar o Brasil na prova mais importante do mundo!”

Em sua 11ª viagem internacional representando o Brasil, a expectativa é positiva, já que Érika é uma ciclista experiente e encara o seu principal objetivo da temporada, mesmo diante da “corrida mais rápida do ano”. Afinal, o título mundial é almejado por muitos ciclistas, que geralmente projetam seus treinamentos para obter os picos de “performance” para o grande dia de representar o país no seu esporte.

Para conquistar os objetivos, Érika terá primeiro que vencer o frio do verão norueguês: “Particularmente eu não gosto de frio. Mas quando não há escolha o jeito é manter se sempre agasalhada com vestimentas próprias para o frio, um óleo para aquecer os músculos antes de pedalar ajuda muito”, destaca a mineira de Belo Horizonte. “É importante tomar cuidado pra não desidratar, já que o corpo gasta mais energia para esquentar ao pedalar no freio, e assim, encarar o que vier sem medo, caso contrário, o pelotão feminino nos atropela!”, destaca Gramiscelli, que sabe bem qual será a estratégia e atitude para obter o melhor resultado.

Depois de pedalar no Canadá, EUA, Itália, Nova Zelândia, Argentina, Equador, Chile, Costa Rica, Colômbia, México e agora na Noruega, Erika ensina também o que levar de babagem para viajar: “Capacete Uvex, luvas Giro, sapatilha Giro, óculos Uvex (levo dois modelos: para dias de sol e dias escuros ou pedaladas em matas fechadas), o uniforme será da seleção brasileira, além de roupa de frio, obviamente, capa de chuva, manguito, pernito, meias de compressão Compressport…” destaca Érika que gosta de viajar compacta para encarar toda logística com mais facilidade.

“No quesito mecânica, deveríamos levar muitas coisas, mas como é uma viagem longe e no local do evento contamos com várias empresas que disponibilizam equipamentos e ferramentas, eu levo somente o básico: 3 pares de  pneus Maxxis; refil de CO2, chave de corrente, um conjunto de chaves pra toda bike, no mínimo 6 garrafinhas e suplementos para uso no treino, competição e para uso no aeroporto!” revela Érika que já adaptou as longas esperas para os voos e conexões.

Nas últimas participações nas Copas do Mundo, Érika melhorou três posições em comparação entre as provas somando pontos valiosos no ranking da UCI (União Ciclística Internacional). Érika atualmente é a 3ª brasileira no ranking UCI e soma um total de 53 pontos (69ª posição) no ranking mundial.