Chloé Calmon perde título mundial

Foto: Tim Hain //

A jovem Honolua Blomfield de apenas 18 anos de idade é a nova campeã da World Surf League nos pranchões com a vitória no Taiwan World Longboard Championship 2017 na quarta-feira.

A conquista do primeiro título mundial feminino do Brasil no Longboard foi adiada mais uma vez. Depois de 27 pódios consecutivos nos campeonatos que disputou desde 2014, a carioca Chloé Calmon parou na terceira fase da etapa decisiva na Ilha Taiwan e a havaiana Honolua Blomfield faturou o caneco de campeã mundial da World Surf League com a vitória no Taiwan World Longboard Championship nesta quarta-feira na praia Jinzun Harbour, em Taitung. Chloé terminou novamente como vice-campeã mundial e a melhor brasileira em Taiwan foi a pernambucana Atalanta Batista. A tricampeã sul-americana ficou em quinto lugar com a derrota nas quartas de final para a campeã mundial de 2016, a americana Tory Gilkerson.

“Me sinto como se estivesse no topo do mundo e isso tudo é surreal”, disse Honolua Blomfield, de apenas 18 anos de idade. “Ver todo o seu trabalho duro ser recompensado dessa maneira, é o melhor sentimento do mundo e certamente esse é o melhor dia da minha vida. Eu entrei com tudo na final, pois a Lindsay (Steinriede) estava ganhando notas altas durante todo o dia, então eu teria que ser melhor do que ela de alguma forma. Foi um dia incrível, com altas ondas e o swell (ondulação) continua bombando lá fora. Terminar um evento assim, em boas condições e com o título mundial, é quase inacreditável para mim e estou muito feliz”.

As competidoras dos Estados Unidos se destacaram no último dia da competição feminina no Taiwan World Longboard Championship. A havaiana Honolua Blomfield tinha ficado em terceiro lugar na outra etapa disputada em Papua Nova Guiné e comemorou seu primeiro título mundial na Ilha Taiwan. Na grande final, surfou três ondas no critério excelente dos juízes para derrotar a campeã mundial de 2011, Lindsay Steinriede, por 18,60 a 16,50 pontos somando 9,77 com 8,83 das duas melhores apresentações. Outras duas norte-americanas dividiram o terceiro lugar nas semifinais, Tory Gilkerson e Rachael Tilly.

“Estou muito contente com o encerramento do evento em ondas incríveis como as de hoje (quarta-feira) aqui em Taiwan”, disse Lindsay Steinriede. “Estou realmente feliz por ter feito boas baterias e só tentei aproveitar ao máximo essas ondas. O ano foi ótimo, com dois eventos para decidir o título mundial, pois isso nos deu mais uma oportunidade de sucesso. A Honolua (Blomfield) tem apenas 18 anos de idade e está surfando de forma incrível. Estou feliz por ela, que fez um surfe inacreditável na final e certamente foi o melhor dia de ondas que tivemos em Taiwan. Esse lugar é maravilhoso e já estou ansiosa para voltar aqui no ano que vem”.

Esta foi a primeira vez que o título mundial feminino foi decidido em duas etapas. A primeira aconteceu em Papua Nova Guiné e foi vencida pela brasileira Chloé Calmon, derrotando a havaiana Crystal Walsh na final. Agora, pela primeira vez as meninas competiram na Ilha Taiwan e o evento está sendo um sucesso de ondas, com Jinzun Harbour apresentando boas condições desde o domingo, quando foi iniciado o Taiwan World Longboard Championship.

“Foi muito legal para o longboard ter mais do que um evento, pois nos deu mais oportunidades para trabalhar, já que nem tudo foi decidido num só campeonato”, comentou Honolua Blomfield. “Eu mesma fiquei em terceiro lugar lá em Papua Nova Guiné e estava tentando não pensar muito em título mundial, embora este era um sonho meu desde criança, quando comecei a competir. Terminar tudo aqui em Taiwan em um dia de ondas incríveis, complementou meu sonho e o sentimento é muito melhor do que eu poderia imaginar”.