5 de abril de 2015

Copa Internacional de MTB é fundamental para o Brasil

249095_487386_txt_2___atleta_raiza_goulao___credito_jardiel_carvalho

Foto: Jardiel Carvalho //

Etapas da CIMTB Levorin, válidas pelo ranking olímpico, atribuem aos ciclistas em campanha para Rio 2016, 907 dos 3.347 pontos conquistados até o momento, ou seja, 27% do total.

Principal competição de mountain bike da América Latina, a Copa Internacional Levorin de MTB demonstra sua força pela elevada pontuação concedida nos rankings da UCI (União Ciclística Internacional). Na última atualização em 31 de março, o Brasil subiu importantes posições, como nação, no ranking olímpico. Entre os homens, evoluiu da 19ª para a 10ª colocação, com 1602 pontos. No feminino, ganhou o mesmo número de posições, saltando de 20º para o 11º lugar, com 1745 pontos, e se aproximou da oitava posição, posto que garantiria duas vagas às mulheres em Rio 2016. Os três melhores atletas de cada país compõe o grupo de pontuadores. Do total de 3.347 pontos somados pelos seis atletas, 907 foram conquistados em etapas da CIMTB Levorin, o que totaliza 27% do acumulado.

Desde a penúltima atualização, em 3 de março, a abertura da CIMTB Levorin em Araxá foi fundamental, ao distribuir 760 pontos aos seis brasileiros: Henrique Avancini, Rubens Valeriano, Ricardo Pscheidt, Raiza Goulão, Isabella Lacerda e Erika Gramiscelli. Juntos, receberam no período 1.305 pontos, ou seja, 58% vieram da etapa de Araxá (MG), com o formato inédito SHC (Hors Class por Estágios), nas Américas.

Entre os homens, o fluminense Henrique Avancini é responsável pela maior parte dos 1.602 pontos, com 938, equivalente a 58,5% do total. Em seguida aparecem Rubens Valeriano, com 406 e Ricardo Pscheidt, com 258. “Antes de a pontuação olímpica ser considerada, a partir de maio de 2014, declarei que me empenharia para ser o representante do Brasil no Rio 2016, e ainda daria uma contribuição de peso para colocar um segundo atleta brasileiro nos Jogos. Ainda falta mais de um ano para o evento, mas é possível terminar no top 13, o que garantiria dois homens do País, no Rio”, comemorou Henrique Avancini.

Válido a partir do fim de maio de 2014, o ranking olímpico para o Rio 2016 definirá no período de dois anos os representantes do Brasil no principal evento esportivo do mundo. Os pontos obtidos pelos três melhores do País serão somados, definindo-se o ranking das nações. No masculino, do primeiro ao quinto país, serão oferecidas três vagas por nação. Do sexto ao 13º, duas vagas, e do 14º ao 24º, uma vaga.

No feminino, do primeiro ao oitavo país serão atribuídas duas vagas, e do nono ao 18º, apenas uma. A última vaga será revertida ao país sede, caso ainda não esteja garantido pelo critério técnico, em ambas as categorias. Entre as brasileiras, a briga pela vaga é mais equilibrada. A ciclista goiana Raiza Goulão lidera, com 687 pontos. Atual bicampeã da Copa Internacional Levorin de MTB, Isabella Lacerda é a segunda colocada, com 575. Completa o trio da nação brasileira, Erika Gramiscelli, com 483 pontos.

CIMTB Levorin na classificação dos atletas

Até o momento, três provas da Copa Internacional Levorin de MTB pontuaram para o ranking internacional: as etapas de 2014, em Congonhas (MG) e São Roque (SP), e a abertura de 2015, em Araxá (MG). Entre os seis ciclistas representantes do Brasil no masculino e feminino, Henrique Avancini foi quem mais pontuou no evento, com 196 de seus 938 pontos. Porém, ao mesmo tempo é quem tem a menor porcentagem: apenas 21% de seus pontos vieram da CIMTB Levorin.

Quem aparece com maior porcentagem relativa à CIMTB Levorin é Rubinho Valeriano, com 39,41% dos pontos vindos da prova. Em seguida aparecem, Pscheidt e Erika, com 35,6 e 35,2%, respectivamente. Enquanto a líder Raiza tem 23,4% de seus pontos obtidos nas etapas da competição desde fim maio de 2014, Isabella aparece com 22,2%.