12 de agosto de 2013

DO LAGO GUAIBA PARA O LAGO MAGGIORE, UMA PAIXÃO POR ÁGUAS ABERTAS


 

O nadador master Fancismar Siviero, 57 anos de idade, começou a participar de travessias aquáticas há 5 anos. A primeira maratona aconteceu em Tapes, na Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, sul do Brasil. A prova foi realizada em condições adversas, com ventos e uma chuva fina que deixaram a água com muitas ondas. Daí seguiram-se provas no Rio Grande do Sul – Torres, Rio Grande e Lagoa dos Patos.

Em Santa Catariana, Francismar participou do Circuito Travessias.Com e do Bombinhas Esportes. No Rio de Janeiro, a tradicional Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar foram nadados também. Esta paixão por travessias levou o atleta a participar de uma travessia na Itália, na região de onde vieram seus antepassados, também de sobrenome Siviero. A prova escolhida foi a tradicional prova de maratona aquática na região dos lagos italianos, a XVIII Nuotata Dell’Eremo. A travessia, realizada no Lago Maggiore, possui dois percursos. O primeiro, paralelo a praia, pela manhã, com 1,5 km e o outro, à tarde, de 4,0 Km que atravessa o lago, partindo da histórica cidade de Stressa e com chegada em Leggiuno. A prova, realizada em águas cristalinas, possui um visual mágico, tem vista para os Alpes, para o penhasco onde está Hermitage de Santa Caterina Del Sasso e a isola Bella com o Palazzo de Borromeu. A segurança da prova tem acompanhamento de caiaques, lanchas do corpo de bombeiros, marinha, polícia e apoio médico. A temperatura da água, um dos principais obstáculos da prova, é fria pelo degelo dos Alpes, onde mesmo no verão dificilmente ultrapassa os 20 ºC. A grandeza desta competição reflete o trabalho desenvolvido pelos organizadores, Dario Alluvion e Flora Mazzucchelli. O lago Maggiore é um lago dividido entre a Itália e a Suíça. É um dos principais lagos alpinos e o segundo maior lago da Itália. O lago banha as regiões de Lombardia e Piemonte, enquanto na Suíça banha o cantão Tessino. É um dos mais belos locais da Itália. “Fazer uma travessia neste local e respirar a atmosfera do lago é fazer uma viagem no tempo, num local preservado, onde a natureza, a arte e a história se reúnem”, declara Francismar Siviero, que também é cidadão italiano.

Para 2014, Francismar planeja levar um grupo maior de brasileiros para a travessia, promovendo a integração Brasil-Itália.