19 de maio de 2015

Fabiana Murer e Ana Cláudia brilham com vitórias

253002_501488_lsp_1356

Foto: Agência Luz //

Estrelas garantem presença nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e ajudam o Clube de Atletismo BM&FBOVESPA a conquistar o título nacional pela 14ª vez.

As mulheres do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA deram show no último dia do XXXIV Troféu Brasil, disputado no último domingo, na Arena Caixa, em São Bernardo do Campo. Fabiana Murer, no salto com vara, e Ana Cláudia Lemos Silva, nos 200 metros, foram campeãs brasileiras mais uma vez e conquistaram índices para o Mundial de Pequim, de 22 a 30 de agosto, e para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Esses resultados ajudaram o Clube de Atletismo BM&FBOVESPA a somar 567,5 pontos e conquistar o título do Troféu Brasil pela 14ª vez consecutiva. O Pinheiros foi o segundo colocado, com 376,5, seguido pela Orcampi, de Campinas (264).

A campeã mundial Fabiana Murer fez a sua estreia na temporada ao ar livre vencendo com 4,65 m, marca suficiente para confirmar o índice para o Mundial de Pequim e fazer o da Olimpíada do Rio, que é de 4,50 m. Ela ainda teve boas três tentativas a 4,75 m, com o objetivo de assumir a liderança do ranking mundial do salto com vara, mas não superou o sarrafo. A saltadora, que embarca para a Europa na próxima quinta-feira, saiu satisfeita de sua única prova no Brasil no ano.

“Foi uma boa competição e gostei bastante dos saltos, faltou bem pouquinho para passar os 4,75 m. Mas fiquei contente (com os 4,65 m) porque foi uma das minhas melhores marcas de primeira competição da temporada”, afirmou. “Gostei da minha técnica e deu tudo certo. Estou me sentindo mais preparada do que na temporada em pista coberta (quando bateu o recorde sul-americano indoor, com 4,83 m), e agora é pegar ritmo de competição para saltar mais alto.”

A vitória de Ana Cláudia Lemos Silva teve índice olímpico, queda e samba. Com os 23s08 do ouro nos 200 metros, a velocista correu abaixo do mínimo exigido para o Mundial de Pequim e para a Olimpíada do Rio (23s20) e conquistou seu segundo índice na competição (já tinha nos 100 metros). Neste domingo, ao passar a linha de chegada, um pequeno desequilíbrio fez a atleta cair na pista. Mas nada que preocupasse: Ana Cláudia levantou, pegou a bandeira do Clube de Atletismo BM&FBOVESPA e até sambou na pista durante a comemoração.

“Fiquei satisfeita pela vitória e pelos índices, mas não pelo resultado”, disse a velocista, que fez 22s48 na semifinal, mas a marca não foi válida por ter sido conquistada com tempo acima do permitido. “Agora é ter paciência, porque vai sair coisa melhor por aí. Estou um pouco cansada, foi meu quinto tiro no Troféu Brasil. Vou aproveitar a semana, dar uma relaxada, e voltar com tudo para os treinamentos.”

Na versão masculina dos 200 metros, Antonio Cesar Rodrigues vibrou muito ao conquistar a medalha de bronze, com o tempo de 20s53. O jovem velocista melhorou sua marca pessoal (a anterior era 20s66) e ficou muito perto dos índices para o Mundial e para os Jogos Olímpicos, que é de 20s50. “Estou feliz demais. Consegui fazer uma curva muito boa, já tinha acertado no revezamento e na semifinal também. Hoje, deu certo de novo. No final, faltou um pouquinho, eu tentei crescer, mas fiz o que deu. Só tenho que agradecer ao meu treinador (Katsuhico Nakaya) e ao Clube. Essa é a minha primeira medalha individual no Troféu Brasil e estou feliz demais”, disse o velocista de 22 anos.