23 de novembro de 2015

Filipe Toledo é vice-campeão no Hawaiian Pro

Wade Carmichael

Foto: Tony Heff //

Wade Carmichael venceu a final do QS 10000 de Haleiwa completada por dois havaianos e está na porta de entrada da zona de classificação para o CT que tem três vagas para serem definidas em Sunset Beach.

O foco principal de Filipe Toledo no Havaí é a disputa do título mundial em Banzai Pipeline, mas já está competindo na ilha de Oahu e chegou perto de uma vitória inédita para o Brasil em Haleiwa Beach. O seu aéreo full rotation de frontside valeu a maior nota – 9,5 – da final do Hawaiian Pro, só que o ‘power surf’ de Wade Carmichael prevaleceu em duas boas ondas para conquistar a primeira joia da Tríplice Coroa Havaiana. O australiano faturou 40 mil dólares e saltou da 53.a para a 13.a posição no Qualifying Series com os 10.000 pontos da vitória. Filipe subiu para quinto no ranking que ele venceu no ano passado e larga em segundo na Vans Triple Crown of Surfing, com Gabriel Medina em sétimo ficando nas semifinais do QS 10000 de Haleiwa.

Dois havaianos também decidiram o título do Hawaiian Pro e entrariam no G-10 com a vitória em Haleiwa. Mas, Ezekiel Lau terminou em terceiro, Dusty Payne em quarto e Connor O´Leary permaneceu fechando a lista. Ele e os também australianos Davey Cathels e Ryan Callinan, ainda estão com suas vagas ameaçadas por quase quarenta surfistas no último QS 10000 do ano. A batalha final será na Vans World Cup of Surfing, que começa terça-feira em Sunset Beach. Em Haleiwa, não entrou nenhum swell consistente e o Hawaiian Pro aproveitou o único, com ondas de 3-4 pés com boa formação para manobras de borda e aéreas também, porém poucas entravam nas baterias nos longos intervalos entre as séries de todos os dias.

“Os últimos dez minutos o mar ficou completamente flat (sem ondas) e eu ficava pensando: Oh, meu Deus, eu só preciso de uma onda”, disse Filie Toledo. “Essa onda até veio, era até boa, mas eu não consegui fazer nada melhor do que um 5,30. Mesmo assim, o segundo lugar não é ruim e estou feliz pelo resultado. Estou contente também por todos que fizeram a final, o Zeke (Ezekiel Lau), o Dusty (Payne) e parabéns para o Wade (Carmichael) que mereceu a vitória”.

No último sábado, as séries até estavam mais constantes no início do dia, com boas esquerdas e direitas, mas as calmarias sempre apareciam, desde a primeira bateria até a grande final. A decisão do título começou nas esquerdas de Haleiwa, com Filipe Toledo arriscando o aéreo sem completar a manobra. A segunda onda foi surfada por Dusty Payne, que usou as manobras de borda para largar na frente com 5,83. Ezekiel Lau surfou a primeira direita da final e mandou um aéreo rodando que valeu 4,33.

Wade Carmichael pegou duas ondas fracas e Dusty Payne destrói uma boa direita para receber nota 7,0 e abrir vantagem na liderança. As direitas passaram a funcionar melhor e Filipe Toledo vem atacando forte uma, mas errou a segunda manobra. Na de trás, Ezekiel acerta uma batida jogando água pra cima e emenda outro aéreo para se manter em segundo lugar, com os dois havaianos na frente no primeiro terço da bateria.

O power surf de Carmichael apareceu numa boa onda que valeu nota 9,07, aí Filipe usa sua arma mortal, o aéreo full rotation de frontside muito alto com aterrisagem perfeita, para arrancar 9,5 dos juízes e assumir a ponta. O australiano pega outra direita e vai abrindo grandes leques de água com a pressão das suas manobras e tira o primeiro lugar do brasileiro com nota 6,33. A disputa do título continuava aberta nos 15 minutos finais, mas com os havaianos já precisando de uma onda excelente de mais de 8 pontos para a vitória. Para Filipe, bastava uma que rendesse 5,90.

Só que as séries pararam de entrar e a calmaria agonizante continuou até quando restavam 4 minutos para o término. Com a prioridade de escolha, Filipe pega a primeira onda e sai variando manobras até onde foi possível, mas nem conseguiu trocar o 5,33 da sua segunda nota computada. Ezekiel vem na seguinte com a torcida vibrando a cada movimento, mas a onda era fraca. No minuto final, entra outra série, Filipe pega uma esquerda pequena sem potencial, Payne ainda acha uma direita nos últimos segundos, mas nada mudou. Wade Carmichael foi o campeão por 15,40 pontos, contra 14,83 de Filipe Toledo, 13,04 de Ezekiel Lau e 12,83 de Dusty Payne.

“Eu nem sei o que dizer, não conseguia acreditar ver todos na praia me vendo surfar, é tudo muito incrível vencer um evento aqui no Havaí, é muito especial”, disse Wade Carmichael. “O ano tem sido difícil pra mim. Comecei bem em Trestles (EUA) com um terceiro lugar, mas depois não consegui mais nada. Eu tenho um pouco de dificuldade em surfar ondas pequenas e continuei cometendo alguns erros. Mas, sinto que com esta vitória aqui, eu posso conseguir um outro bom resultado em Sunset Beach, então estou amarradão”.