Hawaiian Pro abre Tríplice Coroa Havaiana

Foto: Keoki Saguibo //

Doze dos 32 participantes da América do Sul no penúltimo QS 10000 do ano estrearam na terça-feira com quatro vencendo suas baterias e mais quatro se classificando em segundo lugar.

O Hawaiian Pro abriu a Tríplice Coroa Havaiana na última terça-feira em ondas de 3-5 pés em Haleiwa Beach, na ilha de Oahu. O prazo do penúltimo QS 10000 do ano começou no domingo, mas as condições do mar só melhoraram um pouco no terceiro dia para realizar dezoito baterias, as dezesseis da primeira fase e mais duas da segunda. Dos 32 participantes da América do Sul, doze competiram na terça-feira e oito se classificaram com quatro vencendo suas baterias. O uruguaio Marco Giorgi ganhou a primeira da segunda fase e vai enfrentar o campeão mundial Adriano de Souza na abertura da rodada dos principais cabeças de chave do evento.

Os adversários deles na batalha pelas primeiras vagas nas oitavas de final do Hawaiian Pro serão o norte-americano Griffin Colapinto e o australiano Soli Bailey. Além de Mineirinho, mais onze brasileiros fazem parte da lista dos 32 surfistas mais bem ranqueados na World Surf League que vão estrear na terceira fase. O paulista Caio Ibelli é um dos cabeças de chave da segunda bateria e o pernambucano Ian Gouveia da terceira. Na quinta e sexta, estão os dois reforços já confirmados na “seleção brasileira” do CT 2018 entre os dez indicados pelo WSL Qualifying Series, o catarinense Yago Dora e o paulista Jessé Mendes, respectivamente.

Na sétima bateria, tem Brasil em dose dupla com dois integrantes da elite atual que precisam de bons resultados na Triplice Coroa Havaiana para manter suas vagas para o ano que vem, os paulistas Miguel Pupo e Wiggolly Dantas. Na mesma situação está o potiguar Italo Ferreira, que estreia na décima bateria. Na 11.a, o catarinense Willian Cardoso começa a defender a quarta posição no ranking do QS. Na 12.a, o potiguar Jadson André inicia a busca por um lugar no G-10 para permanecer no CT e a 13.a também é encabeçada por dois brasileiros, Filipe Toledo já confirmado em 2018 e o catarinense Tomas Hermes que ocupa o quinto lugar no QS.

BRASIL NO G-10

Além do líder Jessé Mendes e de Yago Dora, Willian Cardoso e Tomas Hermes, o cearense Michael Rodrigues é o quinto brasileiro entre os dez que estão se classificando pelo ranking de acesso da World Surf League. No momento, ele se encontra na perigosa penúltima posição no G-10 e vai estrear na 11.a bateria da segunda fase, que já foi iniciada com os dois primeiros confrontos fechando a terça-feira em Haleiwa Beach.

Marco Giorgi conquistou a quarta e última vitória sul-americana no primeiro dia de competição no Hawaiian Pro. Ele mandou um aéreo de backside numa esquerda para totalizar exatos 13,00 pontos e bater um top do CT no ano passado, Nat Young, que passou em segundo com 11,80. Com a nota 6,73 da sua última onda, o californiano superou os 10,90 pontos do havaiano Elijah Gates e o australiano Jack Robinson ficou em último com 9,20.