8 de setembro de 2015

Hurley Pro abre reta final da World Surf League

Adriano de Souza

Foto: Kelly Cestari //

Adriano de Souza compete com a lycra amarela do Jeep Leaderboard pela quinta vez consecutiva e Tomas Hermes reforça a seleção brasileira do WCT na etapa norte-americana em San Clemente na Califórnia.

O Hurley Pro Trestles abre nessa quarta-feira a reta final da corrida pelo título mundial da World Surf League em San Clemente, na Califórnia, Estados Unidos. O prazo desta oitava das onze etapas da temporada vai até o dia 20, inclusive para a categoria feminina, que volta a participar de uma prova junto com os homens nas ondas de Lower Trestles. Este é o quinto evento consecutivo de Adriano de Souza competindo com a lycra amarela de número 1 do Jeep Leaderboard. Mas, a grande vantagem conseguida na “perna australiana” já não existe mais e seis surfistas têm chances matemáticas de lhe tirar a primeira posição na etapa norte-americana do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour.

As principais ameaças são os australianos Mick Fanning e Owen Wright, que ocupam a segunda e terceira colocações, respectivamente, com menos de 500 pontos de diferença para Adriano de Souza. A briga pela ponta do Jeep Leaderboard entre eles é fase a fase e em seguida vêm outro australiano, Julian Wilson, dividindo a quarta posição com o brasileiro Filipe Toledo, que compete em casa em Lower Trestles por morar em San Clemente. Filipinho já venceu a etapa do QS 10000 realizada este ano na mesma praia e é forte concorrente ao título se a condição do mar favorecer as manobras aéreas que são a sua especialidade.

Com chances mais remotas, também estão na briga pela ponta do ranking o norte-americano Kelly Slater em sexto lugar e o francês Jeremy Flores em sétimo, depois da vitória sobre Gabriel Medina na decisão do Billabong Pro Tahiti nos tubos de Teahupoo. Para superar os 35.450 pontos que Mineirinho já garante no ranking com sua participação na Califórnia, Slater precisa chegar na grande final do Hurley Pro e Flores vencer o campeonato, desde que o brasileiro não passe nenhuma bateria nos Estados Unidos.

SELEÇÃO BRASILEIRA

Além dos sete integrantes da “seleção brasileira” do WCT, Tomas Hermes também vai competir em San Clemente substituindo o contundido Matt Banting, da Austrália. A vaga era para ser de outro catarinense, Alejo Muniz, que acabou impedido de participar por não estar em dia com o visto de entrada nos Estados Unidos. Tomas já disputou a etapa sul-africana em Jeffreys Bay e não conseguiu vencer nenhuma bateria, mas as condições do mar em Lower Trestles favorecem mais o seu surfe de manobras modernas, incluindo as aéreas. Ele está escalado na quarta bateria com o havaiano Keanu Asing e o australiano que o eliminou na África do Sul, Owen Wright.

Diferente da maioria das etapas do Samsung Galaxy World Surf League Tour 2015, os oito brasileiros vão estrear sozinhos no Hurley Pro Trestles, contra dois surfistas de outros países. Normalmente, eles acabavam se enfrentando na rodada inicial que só classifica os vencedores das baterias para a terceira fase. O campeonato já vai começar quente, com Kelly Slater disputando a primeira vaga direta com o potiguar Jadson André e o irlandês Glenn Hall. Filipe Toledo entra na segunda bateria com o australiano Adrian Buchan e o havaiano Dusty Payne.

Depois, tem Tomas Hermes na quarta e na sexta Adriano de Souza faz a sua primeira apresentação com a lycra amarela em Lower Trestles, contra o australiano Adam Melling e o convidado da Hurley para esta etapa, o norte-americano Ian Crane. O potiguar Italo Ferreira entra no nono confronto com dois havaianos, Fredrick Patacchia e John John Florence, que decidiu o título do Hurley Pro Trestles vencido pelo sul-africano Jordy Smith no ano passado.

Na disputa seguinte, o campeão mundial Gabriel Medina estreia junto com o australiano Bede Durbidge e o americano C. J. Hobgood. Medina vai tentar dar sequência na recuperação iniciada nos tubos de Teahupoo, onde fez a sua primeira final no ano. E ele ainda pode entrar na briga pelo bicampeonato com uma vitória na Califórnia. Depois de abrir o Hurley Pro Trestles, o Brasil também vai fechar a rodada de apresentação dos melhores surfistas do mundo nas ondas de San Clemente.

Na penúltima bateria, Miguel Pupo enfrenta o americano Nat Young e o australiano Kai Otton. Pupo precisa de um ótimo resultado para entrar no grupo dos 22 primeiros colocados no ranking, que são mantidos na elite dos top-34 da World Surf League para o ano que vem. E a última vaga direta para a terceira fase será disputada pelo australiano Taj Burrow, o brasileiro Wiggolly Dantas e o taitiano Michel Bourez. Esta rodada não é eliminatória e os perdedores têm outra chance de classificação na segunda fase.

RETA FINAL DA TEMPORADA

Depois do Hurley Pro Trestles, só restarão três etapas para definir o campeão mundial de 2015. Duas delas serão na “perna europeia” do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour no mês de outubro, com o Quiksilver Pro France nos dias 6 a 17 em Hossegor e o Moche Rip Curl Pro Portugal nos dias 20 a 31 em Supertubos, Peniche. Esta será a última parada antes do encerramento da temporada no Billabong Pipe Masters, de 8 a 20 de dezembro em Banzai Pipeline, na ilha de Oahu, Havaí.

O Hurley Pro Trestles será transmitido ao vivo pelo www.wordsurfleague.com e o link também pode ser acessado clicando-se no banner do evento na capa da nova página da WSL South America – www.wslsouthamerica.com – que destaca a participação dos brasileiros na disputa do título mundial no WCT com notícias também dos surfistas dos outros países da América do Sul nos circuitos da World Surf League.