2 de julho de 2016

Igor Amorelli disputa Ironman Frankfurt nesse domingo

unnamed

Foto: Romulo Cruz //

O triatleta Igor Amorelli disputa nesse domingo o Ironman Frankfurt, válido como Campeonato Europeu da categoria. O evento alemão é conhecido por ser o de maior nível técnico do circuito reunindo alguns dos principais triatletas do mundo. Por ser uma etapa continental, a competição em Frankfurt distribui o dobro de pontos no ranking, além de oferecer uma vaga direta ao campeão no Mundial de Kona.

Após largar no Ironman Florianópolis e encerrar sua participação após pouco mais de 100km de ciclismo, Igor competiu uma prova completa pela primeira vez há aproximadamente três semanas, quando conquistou o 4º lugar no Ironman 70.3 Italy. Dessa forma, o Ironman Frankfurt será o primeiro que o atleta catarinense fará no ano com a distância completa – 3,8km de natação, 180km de ciclismo e 42,1km de corrida.

Buscando uma vaga no mundial de Kona pelo quarto ano consecutivo, Igor tem uma longa jornada pela frente, mas com boas chances de conseguir um lugar no Havaí. Após se recuperar de uma cirurgia no braço, o triatleta se mostra bastante animado para competir diante do forte start list do Campeonato Europeu.

“Essa será minha primeira prova de Iron completo no ano, mas já me sinto muito bem e preparado. Conseguimos encaixar ótimos treinos nas últimas semanas e eu já me sinto muito melhor do que há 3 semanas, quando competi na Itália. A prova de Frankfurt será bem dura, com muitos caras fortes, mas vamos em busca de um bom resultado”, comenta Igor.

Conhecida por ter um percurso rápido, o Ironman Frankfurt tem sua largada nas calmas águas do lago Waldsee Langen. A etapa de ciclismo tem poucas subidas e diversos percursos planos, passando pelo centro da cidade e por alguns pequenos vilarejos ao redor de Frankfurt. Passados os 180km de bike, os atletas têm pela frente mais uma etapa muito rápida, com os 42km de corrida sendo feitos quase 100% no plano.

“Com certeza a maior dificuldade da prova está no nível técnico dos adversários. É muita gente boa competindo junto. O percurso é muito rápido, sem subidas ou incidência de ventos fortes. Com certeza é uma das provas mais difíceis do circuito mundial pela qualidade dos competidores”, ressalta Igor Amorelli.