John John Florence é o campeão do Oi Rio Pro

Foto: Cestari //

O havaiano deu um show na final com o australiano Jack Freestone e também na semifinal contra o campeão mundial Adriano de Souza, que terminou empatado em terceiro lugar com Gabriel Medina no Rio de Janeiro.

Os campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina pararam nas semifinais e o havaiano John John Florence festejou sua segunda vitória na etapa brasileira do Samsung Galaxy World Surf League Championship no Rio de Janeiro. Assim como em 2012, ele enfrentou um australiano na grande final do Oi Rio Pro apresentado por Corona e deu um show nas ondas de 4-6 pés da quinta-feira, para o público que enfrentou a chuva no Postinho da Barra da Tijuca. Por 18,97 a 16,13 pontos, John John ganhou de Jack Freestone a disputa pelo prêmio máximo de 100.000 dólares e saltou da 13.a para a terceira posição no ranking, que continua liderado pelo australiano Matt Wilkinson com Italo Ferreira em segundo lugar.

“Confesso que entrei na final um pouco nervoso, porque o Jack (Freestone) estava arrebentando no evento”, disse John John Florence. “Eu achei que demorei muito para pegar ondas e no início eu tinha certeza que ele ia mandar um aereozão e me colocar em combination. Adorei que tinha bastante onda com pressão e são nessas condições que me sinto em casa. E o público aqui é demais, todo mundo me apoia bastante e acho que isso me ajudou a ganhar o campeonato. Agora subi para terceiro no ranking, mas ainda tem muito chão pela frente e não estou pensando em título mundial nem nada, só mesmo em fazer o meu melhor em cada bateria, cada etapa”.

O havaiano fez de tudo na grande final do Oi Rio Pro, aumentando a vantagem a cada onda. Ele surfou belos tubos, usou seu arsenal de manobras modernas e progressivas para passar cada seção e ainda as manobras aéreas que arrancaram as maiores notas da bateria. John John recebeu nota 7,00 na primeira onda, 8,00 na segunda e construiu o maior placar da quinta-feira com o 9,70 e 9,27 recebidos em duas ondas seguidas. O australiano Jack Freestone também surfou bem, manobrando forte e voando nos aéreos, mas o máximo que conseguiu foram notas 8,33 e 7,80 para somar no resultado encerrado em 18,97 a 16,13 pontos.

No último dia, o campeão John John Florence começou ganhando o duelo havaiano com Dusty Payne que abriu as quartas de final. O campeão mundial Adriano de Souza despachou o australiano Davey Cathels na bateria seguinte, mas não teve qualquer chance contra o havaiano nas semifinais. Já o australiano Jack Freestone, que não participou das duas etapas antes do Brasil por estar contundido, passou por três brasileiros nas fases decisivas. Na quarta-feira, eliminou o novo vice-líder do ranking, Italo Ferreira, no último confronto do dia. E na quinta-feira, primeiro barrou Miguel Pupo e depois o campeão mundial Gabriel Medina nas semifinais, frustrando a enorme torcida que queria ver um brasileiro na final.

“Apesar de não ganhar o evento, achei que tive uma boa performance aqui, não fiquei nervoso nenhuma vez, nem na final quando ele (John John Florence) estava 18 pontos à minha frente”, disse Jack Freestone. “Eu sabia que se tivesse acertado aquele (aéreo) alley-oop poderia até ter vencido, mas fiquei feliz pelo segundo lugar também. Certamente esse resultado me dá mais confiança para os próximos eventos e posso ficar um pouco mais tranquilo também em relação a me manter nos tops da elite para o ano que vem”.