22 de julho de 2016

Land Rover usa IA para fazer história na Vela

Harry KH/ Land Rover BAR

Foto: Divulgação //

O velejador britânico Sir Ben Ainslie elogiou a inteligência artificial (AI) da Land Rover e considerou que essa tecnologia será uma “virada de jogo” da equipe Land Rover BAR na America’s Cup em Portsmouth.

A Land Rover, parceira em inovação da equipe Land Rover BAR, está aplicando sua experiência de processamento de dados e tecnologia delearning machine para ajudar a co-projetar o barco esportivo mais rápido da história da America’s Cup. A intenção da equipe é trazer o mais antigo troféu esportivo do mundo para o Reino Unido pela primeira vez.

Engenheiros da Land Rover, incorporados na equipe há mais de um ano, estão usando inteligência artificial para explorar e encontrar padrões em dados de desempenho de vela para ajudar a “fazer o barco ir mais rápido”. Quando estão testando, a equipe de vela recebe mais de 16 GB de dados não comprimido por dia dos sensores no barco — o equivalente para preencher a memória de um iPhone. A capacidade de processar e dar sentido a esse volume de dados é sem precedentes na vela esportiva. Algo que teria levado semanas pode agora ser alcançada instantaneamente graças à análise de poder de computação e em tempo real da Land Rover.

Sir Ben Ainslie, Land Rover BAR chefe e capitão da equipe, disse: “O poder das máquinas inteligentes é uma área vital em que a divisão de pesquisa e desenvolvimento da Land Rover está somando uma força considerável ao desafio de Land Rover BAR para ganhar a 34ª America’s Cup. Essa competição mostrou a importância em manter o barco estável durante as manobras. A Land Rover está ajudando a entender o que faz a diferença entre permanecer no ar e ‘pousar’ de volta nas ondas. Sabemos que as corridas podem ser vencidas ou perdidas por uma questão de segundos e é aí que AI da Land Rover poderá fazer a diferença”.

O machine learning evoluiu a partir do estudo de reconhecimento de padrões e teoria da aprendizagem computacional em AI. A vela é um esporte perfeito para aplicar essas tecnologias, porque há muitas variáveis — principalmente o vento.

Sensores nos barcos de testes medem mais de 300 variáveis, desde a tensão da fibra ótica até o acelerômetro de seis eixos. Sensores sonoros medem a distância entre o barco e a água. Richard Hopkirk, chefe de sistemas e análise do Land Rover BAR, está totalmente consciente da importância que esses dados têm, oferecendo à equipe uma grande vantagem competitiva.

Ele disse: “Ao contrário de um carro de Fórmula 1 — em que a potência do motor pode ser calibrada com precisão — o vento muda constantemente. Isto dificulta a quantificação das melhorias de desempenho, principalmente quando a entrada de energia é desconhecida. Os algoritmos inteligentes podem classificar por meio de grandes quantidades de dados e ver padrões nas variáveis; padrões que nunca poderiam ser reconhecidos por um analista humano que, em última análise, podem fazer a diferença entre ganhar e perder uma corrida”.

A Jaguar Land Rover é pioneira em tecnologias de machine learning para automóveis. A empresa está trabalhando no Self Learning Car para oferecer a experiência de condução inteligente com conhecimento para usar as preferências pessoais do condutor.

O equatoriano Maurício Muñoz faz parte da equipe de Self Learning Car e é o engenheiro na Land Rover a liderar este projeto. Depois de se formar na universidade na Alemanha e finalizar um mestrado em engenharia desoftware (Munique) e de machine learning (no MIT, em Boston, EUA) foi recrutado diretamente pela equipe de Engenharia Avançada da Jaguar Land Rover. A primeira tarefa de Muñoz aos 27 anos de idade foi analisar manobras específicas, procurando a melhor maneira de navegar o barco. Desde então, ele tem aplicado machine learning para modelar a estabilidade do barco e melhor sua velocidade.

Para Muñoz, “Jaguar Land Rover usa técnicas de aprendizagem automática para identificar padrões comportamentais, como as pessoas interagem com seus carros, com o objetivo final de automatizar a maior parte dele. O projeto de Land Rover BAR é um pouco diferente. O foco não é tanto se o padrão está lá, mas o que está causando o padrão e como visualizá-lo. Compreender isto irá apresentar uma visão radicalmente nova do desempenho sobre a água, levando a uma melhor tomada de decisão no projeto do barco e teste de ciclo.”

Muñoz é um dos muitos engenheiros jovens e talentosos da Jaguar Land Rover emprestando sua expertise para a equipe de design da Land Rover BAR.

A equipe Land Rover BAR é a segunda no ranking America’s Cup World Series na sequência de um pódio em Chicago. A próxima etapa é em Portsmouth (22-24 de julho), quando eles irão tentar ultrapassar os 10 pontos dos líderes da série Emirates Team New Zealand.