Lars Grael disputa Campeonato Brasileiro de Star em Brasília

Foto: Divulgação //

Segundo evento mais importante do calendário nacional da classe vai reunir grandes nomes da modalidade no lago Paranoá. 

A partir desta quinta-feira, o velejador Lars Grael estará de volta ao Lago Paranoá, onde disputa ao lado do proeiro Samuel Gonçalves o Brasileiro da classe Star. O evento segue até domingo no Iate Clube de Brasília e vai reunir grandes nomes da vela nacional, como Torben Grael e Reinaldo Conrad. “Estou na expectativa de este ser um ótimo campeonato, muito prestigiado, com ótimos velejadores na raia, como Torben, que é o favorito, Reinaldo, que é medalhista olímpico, Luis André Reis, medalhista pan-americano e Marcelo Bellotti, que acabou de conquistar o terceiro lugar no sul-americano disputado em Ilhabela, em julho”, disse Lars.

Apesar de morar no Rio de Janeiro, toda vez que vai a Brasília é como uma volta ao passado. A família morou na cidade quando ele e Torben ainda eram crianças e foi na escolinha do clube que ele aprendeu a velejar de Optmist e Pinguim. Mais tarde, ele voltou a morar na cidade, quando foi Secretario Nacional de Esporte, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. “Nos sentimos em casa velejando no Paranoá. Devemos muito ao Rio Yatch Clube, mas muito também ao Iate de Brasília e sempre nos sentimos em casa quando chegamos aqui e somos bem recebidos por amigos”, diz.

A competição, segunda mais importante do calendário da classe Star no Brasil, tem sete regatas programadas, sendo no máximo três por dia. As largadas estão previstas para as 9h30. Ano vitorioso – Lars Grael e Samuel Gonçalves tiveram um começo de ano bastante produtivo. Em janeiro, a dupla foi campeã do Levin Memorial, evento válido como parte do Star Winter Series, disputado em Miami. Em março eles conquistaram a Bacardi Cup, um dos eventos mais tradicionais da classe, e colocaram a bandeira brasileira no alto do pódio pela primeira vez em 87 anos. O evento também foi realizado em Miami. Em junho, no lago Sunappe, EUA, Lars sagrou-se campeão do Hemisfério Ocidental, válido como estrela de prata, já que é um evento continental, velejando com o proeiro americano Brad Nichol.

Uma semana depois, novamente com Samuel, ele viu o título do Mundial escapar por conta de erros dos juízes, após vencer duas das seis regatas disputadas. Em julho a dupla conquistou o Sul-Americano, quarto título internacional do ano e o terceiro de Lars na competição. Lars Grael e Samuel Gonçalves contam com o patrocínio da Light através da Lei de Incentivo do Governo do Estado do Rio de Janeiro.