23 de setembro de 2015

Longboard Gaia Classic 2015

gaia

Foto: Divulgação //

Pelo 11º ano consecutivo Gaia recebeu uma prova do Circuito Nacional de Longboard, o Gaia Classic 2015.

Com ondas limpas a rondar o meio metro a metro nos setes, dia soalheiro com temperaturas amenas, água do mar a 19 graus, Gaia e a Praia de Canide Norte Grão D´Areia não se podiam ter apresentado com melhores condições para a realização da prova.

Esta etapa contou com a presença dos melhores Longboarders nacionais com as exceções de João Dantas que foi participar numa etapa do mundial de Longboard em França e Bruno Grandela, atual campeão nacional em título, que continua lesionado.

A prova teve início com a final de Sub-18, na qual participaram Katheleen Barrigão e João Gama. Katheleen Barrigão foi a justa vencedora, a jovem atleta, apresentou-se bastante focada e com um surf muito bonito. Com esta vitória Katheleen Barrigão deu mais um importantíssimo passo para a realização do seu sonho, ser campeã nacional absoluta na Categoria Longboard de Sub-18.

Acabada a grande final Sub-18, deu-se o arranque da prova Open, que até aos quartos de final teria decorrido dentro da normalidade, caso Luís Cruz, atleta de Espinho que tem vindo a demonstrar um surf clean e absolutamente seguro nas passadas etapas, não tivesse sido eliminado precocemente, permitindo assim que o regressado Miguel “Cebola” Ferreira passa-se às meias finais, embora por uma diferença mínima de 20 centésimas. Katheleen Barrigão, única mulher a disputar o Circuito Nacional Open de Longboard, uma vez mais demonstrou um surf bastante focado, assim como não facilitou em nada a vida a Ruben Silva e Eduardo Fernandes que acabaram por ser superiores.

Já nas meias-finais todos os heats foram extremamente disputados, em que claramente qualquer atleta poderia ter alcançado a final, demonstrando assim que o Longboard está cada vez mais competitivo, forte e interessante. Ruben Silva, José “People” Teixeira, atletas locais, apesar de terem surfado bem não conseguiram ser superiores aos seus adversários acabando esta prova na 7ª posição. Miguel “Cebola” Ferreira e Sebastião Maia também não conseguiram passar esta fase acabando a prova em 5º lugar. João Gama foi a surpresa das meias-finais ao ter-se classificado para a grande final do Open, juntando-se assim a Luís Esteves, Diogo Gonçalves e Eduardo Fernandes.

Durante a final, Diogo Gonçalves surfou com muita segurança e deixou bem claro que veio ao Gaia Classic para vencer e assim retomar a primeira posição do Ranking Nacional, dando assim um importantíssimo passo na reconquista do título de Campeão Nacional de Longboard alcançado na passada época de 2006.

Luís Esteves, apesar de ter surfado bem, não encontrou as melhores ondas, mas mesmo assim abriu uma janela para reentrar na luta pelo título de campeão Nacional.

Eduardo Fernandes esteve ligeiramente abaixo daquilo que fez durante toda a prova, facilitando assim a vida aos seus diretos concorrentes, embora nunca desistindo e deixando bem claro que mais tarde ou mais cedo irá ganhar provas deste circuito e quem sabe ser campeão nacional.

João Gama, o atleta mais jovem na final, esteve sempre na força máxima durante toda a prova, mas na final acusou algum cansaço e falta de concentração, lembre-se que este jovem iniciou as “hostilidades” logo pela manhã na final de Sub-18.

Contas feitas, Diogo Gonçalves passa a ser o novo líder do Circuito Nacional de Longboard, assim como Eduardo Fernandes e Luís Esteves continuam na luta pelo título. João Gama deu uma subida significativa no ranking mas mesmo assim para entrar nas contas do título teria que ter ganho esta etapa.

Esta prova foi uma vez mais organizada pela Rios & Trilhos, Portugal Ativo, Malibu Escola de Surf, Surf Atitude e GPDESIGN, tendo um feedback super positivo por parte dos atletas e público que reconhecidamente comentaram que sem dúvida é a etapa do circuito nacional mais bem organizada, onde os atletas são mais bem tratados e apoiados.

Agradecimento especial aos patrocinadores desta etapa: Mini Caetano Auto, NovoHotel Gaia, a PROZIS que através da sua suplementação alimentar deu muita energia “extra” aos atletas, Atomic Drink, Vitalis, A Vilanovense Associação Mutualista de Gaia, Stock Off, Bar Grão D`Areia e LBM Publicidade.

Os apoios técnicos da Federação Portuguesa de Surf e da Associação Portugal Ativo e por fim aos apoios institucionais: Câmara Municipal de Gaia, Águas de Gaia, Junta de Freguesia de Canidelo.

Ficou a certeza de que para 2016, o Nacional e Europeu de Longboard, estão garantidos assim como provavelmente haverá uma prova do Mundial de Longboard.

Gaia despede-se assim do Longboard de competição para o presente ano, assumindo cada vez mais a posição de Capital Nacional e Internacional de Longboard.