26 de novembro de 2015

Luiz Facco e Felipe Costa entre os Top 10 do Rally Del Atlântico

270331_560994__mg_1980__1_

Foto: Lucas Ronsoni //

Após dois dias de disputas acirradas em Lavelleja, no Uruguai, dupla termina participação em oitavo na RCN2 e com dever cumprido, na tradicional prova de rally de velocidade.

Fim de semana repleto de velocidade, técnica, trechos travados, pedras, poeira e disputas acirradas, em meio a belas paisagens foi o cenário perfeito para a 22ª edição do Rally Del Atlântico, que aconteceu em Minas, Lavelleja, no Uruguai. Luiz Facco e Felipe Costa (carro #9), da Equipe Acelera Siriema, finalizaram a prova em oitavo na categoria RCN2 e nono na geral, com o tempo de 2h02m56s. Foram os únicos brasileiros a terminar entre os Top 10 da geral.

A bordo de um Mitsubishi EVO X, a dupla Facco/Costa fez sua estreia na prova e finalizou a participação com o dever cumprido. Válida pela final do Campeonato Sul-Americano de Rally de Velocidade, o certame reuniu competidores do Uruguai, Argentina, Paraguai e Brasil.

O percurso total foi de 487,40 quilômetros, dos quais 195,40 de Especiais (trechos cronometrados), divididos em dois dias de prova. No sábado, Facco e Costa percorreram três Especiais: San Bernardo (18 km), Escuela (19,60 km) e La Piedra (19,90 km) e fizeram duas passagens em cada. Já no segundo dia, a prova foi mais dura ainda e misturou terra com trechos de asfalto e exigiu habilidade de pilotos e navegadores que percorreram cinco trechos cronometrados, duas voltas na Especial Bull Dog (15,90 km) e três na Especial Penitente (16,20 km).

“A prova foi muito boa, exigiu demais. Foram mais de 190 km de Especiais que alternaram trechos de alta velocidade e outros super travados com muitas pedras. No final conseguimos um excelente nono lugar na Geral e 8º na categoria, que foi bem concorrida”, afirma Facco, que pilotou pela primeira vez o carro em competições internacionais.

Especificamente sobre a prova de domingo, o piloto destacou: “As Especiais aconteceram em um lugar maravilhoso, com presença do público por todo o lado que prestigiou o rali bem de perto o que foi muito legal. Em uma Especial tivemos um trecho com terra e, em outro, uma descida de serra crítica no asfalto, que foi um trecho bem desafiante e perigoso”.

O navegador aprovou a aventura em terras uruguaias. “Foi um fim de semana bem positivo. Terminamos uma prova difícil, dura e conquistamos nosso objetivo. As Especiais de domingo, principalmente, foram duríssimas, sendo que as três passadas na SS Penitente (com 2,8 km de asfalto) foi a mais difícil do rali”, diz Costa que navegou pela terceira vez para Facco.

Costa também elogiou o trabalho e estrutura da Acelera Siriema. “A equipe é muito boa, estão acostumados e preparados para disputas difíceis e no Uruguai não foi diferente. Além do mais, a parceria com Facco é excelente dentro e fora do grid também.”

Participaram do Rally Del Atlântico

Troféu Ricardo Gorbarán oito categorias: RC2, RC2N, RC2NN, RC4, RC3, RC5, RC5NN e RC1600. Resultados completos no www.acryr.com.ar/tiempos/2015/codasur/minas/FIN_ET2.HTM e informações sobre prova no www.rallydelatlantico.org.uy