30 de setembro de 2015

Mariana Pajón confirma favoritismo e é campeã mundial

BMXSX_150927-0337-0840

Foto: Divulgação //

Em final emocionante, colombiana vence Copa do Mundo de BMX Supercross.

A colombiana Mariana Pajón (GW Shimano), líder do ranking mundial de BMX, provou mais uma vez estar em grande fase e, no último fim de semana, conquistou o título da Copa do Mundo de BMX Supercross, ao vencer a última etapa da competição, em Rock Hill (Estados Unidos).

A campeã olímpica em Londres 2012 chegou à pista norte-americana como líder do campeonato, com boa vantagem em relação às principais concorrentes: 30 pontos sobre a anfitriã Alise Post e 60 a mais que a venezuelana Stefany Hernandez. No entanto, a corrida se mostrou desafiadora, e Mariana precisou fazer jus ao posto de melhor ciclista do BMX mundial.

Post largou bem e logo assumiu a liderança, mas acabou sofrendo uma queda e abriu caminho para Hernandez, que lutava para manter a ponta e torcia para Pajón chegar no máximo em terceiro, resultado suficiente para fazer da venezuelana a campeã.

Mas Mariana Pajón não sucumbiu à pressão e permaneceu na segunda colocação até os últimos metros da disputa, quando, numa chegada emocionante, superou Hernandéz por uma roda e coroou o título com nova vitória.

“Busquei forças lá no fundo para encerrar a temporada, e todo o esforço valeu a pena. É incrível o que sinto neste momento, com um final eletrizante e o título da Copa do Mundo de BMX Supercross. Agadeço a todos que me ajudaram a tornar isso possível e aos colombianos que me apoiaram em cada etapa ao redor do mundo”, afirmou Mariana, chegando à 18ª conquista em competições mundiais de BMX na carreira.

Prova masculina

Entre os homens, o carioca Renato Rezende (GT/FOP/Shimano) fez o 15º tempo no contrarrelógio, mesma posição obtida na classificação final da temporada. O colombiano Carlos Oquendo (GW Shimano) quase ficou entre os oito classificados para a final da etapa norte-americana, terminando em 11º lugar geral.

“O nível da Copa do Mundo vem aumentando a cada etapa, principalmente devido à proximidade da Olimpíada. Em Rock Hill o clima não ajudou (choveu durante a competição), mas tentei fazer o melhor e avancei às quartas. Estou contente por terminar no top 15 uma competição tão importante como essa. Isso demonstra que o trabalho está dando certo”, afirmou Renato, esperança de medalha para o Brasil no ciclismo da Rio 2016. Ele está chegando ao país para disputar no final de semana o evento teste de BMX, no Rio de Janeiro, ao lado de Mariana Pajon e Carlos Oquendo, entre outros feras da modalidade.