25 de novembro de 2013

Match Race Brasil


209408_365578_bel_renatadecnop (1)

Tripulação feminina leva charme e força ao Match Race Brasil

Velejadoras em campanha olímpica prometem competir no mesmo nível dos homens nas regatas barco contra barco na Baía de Guanabara

A vela é um esporte em que a força física do tripulante torna-se fundamental para que os equipamentos sejam ajustados e impulsionem o barco conforme a intensidade e a pressão exercida pelo vento. Nada impede que essa força seja aprimorada pela exclusiva percepção feminina. Essa mescla será a arma da tripulação do Rio Yacht Club, formada apenas por mulheres, para enfrentar os homens no Match Race Brasil entre os dias 28/11 e 1º/12 na Baía de Guanabara.

A tripulação feminina terá a seu favor a experiência das quatro velejadoras. Elas competiram no Rio em 2012 e estão em campanha para a inédita olimpíada brasileira, em 2016. A comandante Renata Decnop está treinando na classe 470 com a trimmer, Isabel Swan, bronze nos Jogos de Pequim, em 2008. A responsável pela tática, Fernanda, irmã de Renata, busca a classificação na Laser, mesma classe que acaba de ganhar Larissa Juk, a proeira, como nova candidata brasileira.

“Meu Laser acabou de chegar da Austrália, está zerinho. Consegui comprar graças a uma bem sucedida ‘vaquinha’ pela internet. O barco chegou aqui em Porto Alegre, mas vou levá-lo para iniciar os treinos em Florianópolis”, conta radiante, a velejadora catarinense que disputou o Brasileiro de Match Race no Veleiros do Sul, ao lado de Fernanda, como preparação para o Match Race Brasil. Renata e Isabel seguem treinando de 470 no Rio. As outras três são cariocas.

“A competição aqui no Guaíba terminou domingo (24). Chegamos à semifinal e nesta segunda já estaremos no Rio treinando de J-24. Estamos mais acostumadas a esse barco e o teremos bem mais na mão do que o Beneteau 40.7, modelo muito maior, utilizado em 2012. Teremos melhor desempenho porque ganhamos confiança. Se o vento estiver fraco, também vai ajudar. Somos bem mais leves do que as tripulações masculinas”, considera Larissa.

Na edição anterior do Match Race Brasil, que neste ano completa a 11ª temporada, a tripulação feminina contou com oito velejadoras e representou o Ciaga – Centro de Instrução Almirante Graça Aranha, da Marinha do Brasil. As corajosas velejadores venceram a equipe do Búzios Vela Clube. “Ganhamos o respeito que merecíamos e foi bem legal porque não terminamos o campeonato em último”, lembra Renata Decnop, que mais uma vez estará no leme, responsável pelo rumo a ser tomado pelas mulheres.

“Acredito que nesse ano, por velejarmos na classe J24, teremos chances de competir de igual para igual com os homens, diferentemente do ano passado com o Beneteau 40.7, bem maior e exigia muito fisicamente. Tivemos bastante dificuldade em dominar o barco”, avalia a comandante da tripulação feminina, animada também com o a evolução em busca de uma vaga para os Jogos de 2016. “Eu e a Isabel estamos juntas há um ano em campanha olímpica. O entrosamento vai ajudar. Montamos um time muito competente de profissionais e patrocinadores que nos apoiam, como, Embratel, Nissan e Marinha do Brasil, além da CBVela e do Time Brasil. Já alcançamos a marca de ‘Top 15’ do ranking mundial de 470″, enfatiza Renata.

Reta final de inscrições - As inscrições para o Match Race Brasil 2013 acabam nesta segunda-feira (25) e devem ser solicitadas pelos clubes. Os times são formados por quatro velejadores, mais um convidado. A premiação total será de 100 mil reais, divididos entre os oito primeiros colocados, e estará em disputa o troféu de posse transitória Roger Wright. A equipe campeã será premiada com um total de 26 mil reais.

O grande desafio da edição será quebrar o domínio dos aspirantes da Escola Naval da Marinha do Brasil, que conquistaram o bicampeonato nos anos de 2011 e 2012, com uma tripulação comandada pelo jovem Henrique Haddad, de 26 anos, que neste ano comandará a tripulação do Iate Clube do Rio de Janeiro. Na última edição, o Veleiros do Sul, com o timoneiro Samuel Albrecht, ficou em segundo lugar e a família Grael, sob comando do filho de Torben, Marco, terminou na terceira posição representando o Rio Yacht Club.

Classificação em 2012:
1º – Marinha do Brasil – Henrique Haddad
2º – Veleiros do Sul – Samuel Albrecht
3º – Rio Yacht Club – Marco Grael
4º – Búzios Vela Clube – Alexandre Saldanha
5º – Yacht Club Ilhabela – Maurício Santa Cruz
6º – Iate Clube do Rio de Janeiro – Thomas Low-Beer
7º – Ciaga – Renata Decnop
8º – Clube Naval Charitas – Rafael Pariz

O Match Race Brasil 2013 tem o patrocínio de Volvo, Sportv, Lorenzetti e TIM. A promoção é da IMX, com apoios da Marinha do Brasil e do Iate Clube do Rio de Janeiro. O projeto foi viabilizado pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte. A realização é da Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro.