20 de julho de 2016

Matheus Iorio vence e fecha a ‘trinca’ em Cascavel

288846_622137_dudabairros_2617

Foto: Duda Bairros //

Prova disputada sob um frio de quatro graus teve disputa interna da Cesário F3. Guilherme Samaia foi o segundo colocado, com Pedro Cardoso fechando o pódio.

Cascavel amanheceu com céu azul e o sol iluminando o Autódromo Zilmar Beux em sua totalidade. A temperatura, no entanto, era bem baixa: quatro graus Celsius. E a Fórmula 3 Brasil realizou, nesta manhã, a terceira corrida do final de semana, no complemento da terceira etapa. No traçado de 3.058 metros, as disputas foram quentes e Matheus Iorio conseguiu fechar um final de semana 100% ao vencer todas as três provas no oeste paranaense.

“Nem tenho o que falar, só agradecer muito a equipe e aos meus pais, que me apoiaram demais. Estou muito feliz. Das seis corridas que fizemos eu tive cinco vitórias e uma quebra. Estamos muito bem, e melhorando cada vez mais”, cravou. “Eu vi que estava um pouco melhor que o Samaia em ritmo de corrida, e tinha de ultrapassar de algum jeito. Quando o Matheus Muniz saiu dos boxes, eu vi que ele ia atrapalhar nós dois. Só que o Samaia tentou tirar pela direita, e o Muniz ficou no meio da pista, então passei os dois por fora e me dei bem nessa. Acho que se isso não tivesse acontecido seria bem mais difícil de passar, e seria uma corrida bem pegada”, afirmou Iorio, que cruzou a linha de chegada com 7s5 sobre o companheiro de equipe.

Matheus Muniz, sexto ontem, largou na ponta e ainda na primeira volta foi tocado pelo carro de Thiago Vivacqua. No incidente, Artur Fortunato acabou parando na barreira de pneus, conseguiu voltar, trocar o bico e retornar à corrida com três voltas de atraso em relação aos líderes. Na confusão, Guilherme Samaia assumiu a ponta e controlava a distância para Matheus Iorio, seu companheiro de equipe.

Logo depois que o safety car saiu da pista, Muniz teve um furo de pneu e teve de ir aos boxes da equipe PropCar para fazer a substituição. Quando retornou, voltou à pista exatamente à frente de Samaia. Atrapalhado, o piloto da Cesário F3 foi ultrapassado por seu companheiro de equipe e reclamou bastante da atitude do adversário que levaria uma volta.

“Perdi a corrida ali”, pontuou. “Consegui fazer uma boa largada, aproveitei um toque entre os líderes e pulei para a ponta. Aí o foco era não errar, porque em Cascavel é bem difícil de ultrapassar, mesmo se o carro da frente estiver um ou dois décimos mais lento”, lembrou. “Baixei a cabeça e tratei de manter um ritmo forte, mas infelizmente o retardatário que saiu dos boxes foi um irresponsável: me trancou ali e acabei perdendo a primeira posição por causa disso. Fiquei bem frustrado dentro do carro, mas faz parte. Depois foi tratar de manter o ritmo”, concluiu.

Quente mesmo estavam as disputas pelo terceiro lugar na corrida, novamente entre Pedro Cardoso e Carlos Cunha, e pela vitória na Light, entre Pedro Caland e Renan Pietrowski. Cardoso e Cunha ontem foram punidos por atitude anti-desportiva e se encontravam novamente na pista para lutar por posição – e valendo o pódio.

Com Cardoso à frente , o piloto da CF3 tentou a ultrapassagem por diversas vezes, enquanto o competidor da Hitech GP se defendida – a ponto de chegar a ser advertido por obstrução pela direção de prova. O brasiliense havia largado da última posição e elogiou o acerto de seu carro. “Foi ótimo terminar com pódio. Conseguimos fazer uma boa largada e fiz as primeiras voltas muito bem. O carro estava muito melhor do que ontem e acho que fizemos o possível. Ainda estamos um pouco atrás da Cesário, mas estamos chegando cada vez mais”, disse o piloto, que destacou o final de semana difícil. “Começamos mal. Eu e o (Carlos) Cunha brigamos nas três corridas, mas nos saímos melhor, consegui segurá-lo. Isso é bom porque estou treinando bastante”, fechou.

Na Light, Caland conseguia se manter à frente de Pietrowski com uma vantagem curta. Quando os ponteiros começaram a chegar para abrir uma volta, os pilotos da Hitech GP e PropCar foram avisados com a bandeira azul para abrir passagem. Isso permitiu a Pietrowski se aproximar mais e, depois de duas tentativas, conseguiu tomar a ponta da classe com bela ultrapassagem por fora.

“Não tem final de semana melhor do que ganhar as duas corridas. Foi bem cansativo com o frio. No meio da corrida eu já não sentia mais as mãos”, descreveu. “Mas aprendi um traçado legal, mudei um pouco a estratégia, consegui chegar no meu adversário e ainda bem que deu tudo certo”, disse o paranaense, que se aproxima do adversário na tabela do campeonato e fica a apenas 18 pontos de Caland (78 a 60).

Na classe principal Iorio, que chegou a Cascavel com apenas dois pontos de vantagem sobre Pedro Cardoso, agora alimenta uma diferença de 35 (75 a 40). Com o segundo lugar conquistado hoje, Guilherme Samaia sobe à terceira posição no campeonato com 38 pontos, contra 29 de Carlos Cunha, que abandonou a disputa deste domingo depois que o motor de seu Dallara #54 estourou o motor a nove voltas do final.

Agora a Fórmula 3 entre em período de recesso. As equipes planejam realizarem sessões de treinos visando a preparação para a quarta etapa, que acontece em Interlagos, nos dias 10 e 11 de setembro.