18 de janeiro de 2016

Oi Bowl Jam reúne principais skatistas da modalidade

oi_bowl_jam_2015_corpo

Foto: Divulgação //

Pelo terceiro ano consecutivo o Rio de Janeiro recebe os maiores nomes do skate nacional e internacional para o Oi Bowl Jam: mundial de skate bowl.

A competição, que acontece entre os dias 29 e 31 de janeiro, abre oficialmente a temporada de 2016 pela corrida ao título mundial da modalidade bowl. Ao todo, serão 26 atletas dando show de manobras na pista do Parque Madureira, considerada uma das mais modernas da América Latina. A competição soma pontos para dois rankings internacionais: o da Association of International Skateboarders (AIS) e o da World Cup Skateboarding (WCS). A premiação é de 50 mil dólares. O Oi Bowl Jam tem transmissão do SporTV, na sexta e no sábado, e da TV Globo, domingo, dentro do Esporte Espetacular. O evento é gratuito e aberto ao público.

Segundo o regulamento do evento, dez atletas já estão pré-classificados para a semifinal do Oi Bowl Jam: mundial de skate bowl, no sábado. Os nomes foram definidos pelo mix dos rankings da WCS e AIS. São eles: o atual número 1 do mundo, Alex Sorgente, e o pentacampeão mundial Pedro Barros, além de Vi Kakinho, Felipe Foguinho, Joshua Rodriguez, Chris Russel, Danny León, Murilo Peres, Nilo Peçanha e Greyson Fletcher.

A presença dos melhores atletas do mundo na competição indica que o evento já está consolidado. “Investimos no skate há mais de 15 anos, já que começamos promovendo eventos na modalidade vertical. Observamos essa demanda crescente pela modalidade bowl e há três anos resolvemos migrar. Com isso, prestigiamos um dos locais mais democráticos da cidade, o Parque Madureira, levando para lá o evento de caráter internacional mais duradouro do Rio”, afirma a COO de Esportes da IMM, Marcia Casz.

O diretor técnico do evento, André Barros, ressalta outra característica importante do Oi Bowl Jam. “É um campeonato classificado com pontuação máxima, de seis estrelas, seguindo critérios internacionais, que levam em conta tanto a premiação como a estrutura oferecida para os atletas”, afirma.