14 de outubro de 2015

Quarteto de Marias e colombiana no Brazil Run Series

266436_548137_ed256a0250

Foto: Luiz Doro //

Em briga “caseira”, Luasa Sports conta com auxílio de campeã pan-americana para mudar a história da disputa na capital paranaense, neste domingo.

A disputa da elite feminina pode mudar a história do Brazil Run Series/Circuito CAIXA em Curitiba, neste domingo. Para acabar com o domínio das africanas na prova, campeãs desde 2007, o Brasil conta com um quarteto de Marias, todas entre as dez primeiras do ranking nacional de corrida de rua. A colombiana Muriel Paredes, campeã pan-americana dos 1.500 m, é outra forte candidata ao pódio. A prova terá largada às 7 horas na Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico, e percursos de 5 km e 10 km.

Maria Regina Seguins, Maria José Alves, Maria Aparecida Ferraz e Maria de Fátima Souza, respectivamente segunda, terceira, quarta e sétima colocadas no ranking, têm a missão de defender o Brasil na corrida deste domingo. Para enfrentar o desafio, num percurso com boa variação de altitude, o quarteto vem fazendo treinos de rodagem e de força.

“Entre elas, eu aposto muito na Maria Aparecida Ferraz. Ela é muito rápida, está surpreendendo as favoritas com seus resultados. Está trabalhando para ganhar resistência em corridas mais longas, e no último domingo foi a vice-campeã da Meia Maratona de Florianópolis, à frente inclusive da Jacklyne Chemwek”, aponta Luiz Antônio dos Santos, técnico da Luasa Sports, equipe do quarteto brasileiro. “Tudo isso faz parte da preparação dela para buscar o índice olímpico no ano que vem, nos 5.000 m ou nos 10.000 m.”

Campeã pan-americana

Também integrante da Luasa Sports, a colombiana Muriel Paredes tem boas chances de superar as africanas em Curitiba. Já conhecida pelos brasileiros, Muriel venceu três etapas do Brazil Run Series/Circuito CAIXA desde 2013, e vem fazendo longas temporadas de treino em Ribeirão Preto, no interior paulista, como preparação para os Jogos do Rio 2016.

“A Muriel gosta de percursos como o de Curitiba, com muitas subidas e descidas, e está acostumada a treinar em locais assim na Colômbia”, diz Luiz Antônio. “Em novembro, ela voltará ao seu país para disputar o campeonato nacional de atletismo, que vale índice para a Olimpíada.”

Trio africano

As três africanas na disputa do Brazil Run Series/Circuito CAIXA em Curitiba também defendem a Luasa Sports. Entre elas, o destaque é a queniana Jacklyne Chemwek, terceira colocada na Meia Maratona de Florianópolis, no último domingo. Jacklyne é a recordista da prova paranaense do circuito, com 34min07 marcados em 2011. Completando o pelotão, estão Nelly Jepkurui, do Quênia, e Magdalena Crispin Shauri, da Tanzânia.