Raiza e Vivi mantêm hegemonia e quebram recorde

Foto: Fabio Piva //

Dupla vencedora das quatro provas realizadas até o momento diminui em 12min40 o recorde da quarta etapa, que era das norte-americanas Sonya Looney e Nina Baum.

Principais candidatas ao título da ladies na Brasil Ride, após a competição ultrapassar sua metade nesta quarta-feira, Raiza Goulão e Viviane Favery escreveram seu nome na história da principal ultramaratona de MTB das Américas. Ao completar os 84,7 km da quarta etapa com o tempo de 5h27min29, e assim manter a hegemonia na atual disputa, elas quebraram em 12min40 o recorde das norte-americanas Sonya Looney e Nina Baum na edição de 2014. No masculino, os austríacos Daniel Geismayr e Hermann Pernsteiner voltaram ao topo do pódio na sexta edição da Brasil Ride, e aumentaram mais uma vez a vantagem na liderança da open.

“Estou sem palavras. Me sinto incrível. Todo esforço está sendo compensado para mim e para a Raiza. As antigas donas do recorde são minha referência no esporte e ter conquistado esse resultado com minha companheira mostra que estou no caminho certo. Me sinto muito feliz mesmo. Só me motiva a treinar mais e evoluir no esporte. A Raiza está sendo uma parceira incrível. Ela já está acostumada a grandes resultados e com feitos como esse percebo que posso acreditar mais em mim e no meu potencial como ciclista”, comemorou Viviane Favery. As italianas Annabella Stropparo e Elenda Gaddoni completaram em segundo lugar, seguidas por Isabella Lacerda e Nina Baum, em terceiro.

Entre os homens, a dupla austríaca completou os 84,7 km da quarta etapa com o tempo de 4h05min48, 7min57 à frente de Hans Becking (NED) e Jiri Novak (CZE). Completaram o pódio Remi Laffot (FRA) e Steffem Thum (GER), com o tempo de 4h17min55. No acumulado, Daniel e Hermann têm agora 13h04min39, cerca de 28 minutos à frente dos atuais campeões, Hans e Jiri, que somam 13h32min10, e assumiram o segundo lugar, ultrapassando Hugo Prado Neto e Lukas Kauffmann, com 13h33min51.

“Os resultados obtidos estão dentro do nosso planejamento. As duas duplas europeias realmente vieram como favoritos ao título. Após certo momento desta quarta etapa eles se distanciaram e estamos satisfeitos em brigar pelo pódio. Não podemos nos deixar levar pela emoção, para não fugir do nosso foco. Não nos preocupamos em estar no pódio da etapa, mas, sim, de estar entre os melhores ao final dos sete estágios”, avaliou Hugo Prado Neto. “Na última subida estávamos disputando com Remi e Steffem e, por eles não serem nossos adversários diretos, acabamos não nos esforçando mais do que o necessário para chegar à frente deles. Temos mais três etapas na Brasil Ride e acho que acertamos na nossa decisão”, completou Hugo.