6 de abril de 2015

Rip Curl Pro Junior Series em Mar del Plata

249235_487774_150403_podiohonbres_foto_rodrigomairal

Foto: Rodrigo Mairal //

Catarinense ganhou a decisão brasileira de campeões sul-americanos contra Deivid Silva e Lucia venceu a inédita final argentina com Catalina Mercere nas ondas da Playa Grande.

O catarinense Luan Wood venceu a decisão brasileira de campeões sul-americanos contra o defensor do título, Deivid Silva, no Rip Curl Pro Junior Series Mar del Plata e Lucia Indurain ganhou a final argentina com Catalina Mercere nas ondas da Playa Grande na sexta-feira em Mar del Plata. As duas surpreenderam nas semifinais quando barraram as favoritas Miluska Tello (PER) e Lucia Cosoleto (ARG), respectivamente, que dividiram o terceiro lugar na Argentina, assim como Igor Moraes (BRA) e Alonso Correa (PER) no masculino. Com a vitória, Luan Wood assumiu o segundo lugar no ranking das seletivas sul-americanas para o Mundial Pro Junior da World Surf League, que continua liderado por Deivid Silva. No feminino, a peruana Miluska Tello também se manteve na ponta com a chilena Lorena Fica em segundo e agora Lucia Indurain em terceiro puxando uma fila de três argentinas.

“Estou muito feliz. Não tenho nem palavras, mas primeiramente quero agradecer a Deus, minha familia e todos os brasileiros que torceram por mim”, disse Luan Wood, após a vitória sobre Deivid Silva. “Quero parabenizar ao Deivid (Silva) também, que é um competidor incrível e vinha me ganhando todas as baterias. Estou feliz por conseguir pegar boas ondas na final para vencê-lo desta vez. Ele vinha ganhando todas as etapas do Pro Junior esse ano, é um cara muito humilde, uma pessoa incrível, e foi uma bateria entre amigos”.

Os títulos sul-americanos e as vagas para representar o continente no Mundial Pro Junior da World Surf League serão decididos nas duas últimas seletivas da WSL South America programadas para este ano. A próxima é o Red Nose Pro Junior no Brasil, de 6 a 9 de agosto nas direitas do Pontal de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, com o Chicama Pro Junior fechando a temporada Pro Junior pelo segundo ano consecutivo nas longas esquerdas de Puerto Chicama, nos dias 09 a 13 de setembro em La Libertad, no Peru. Também no Peru foi iniciado o WSL South America Pro Junior Series 2015 com os atuais campeões sul-americanos, Deivid Silva e Miluska Tello, largando na frente na corrida pelo bicampeonato no Rip Curl Pro Junior Series de San Bartolo.

Eles não conseguiram manter a invencibilidade na Argentina, mas permanecem liderando os rankings com uma boa vantagem sobre os principais concorrentes. A peruana foi a primeira vítima da campeã Lucia Indurain nas semifinais, mas o brasileiro fez grandes apresentações em seu caminho até a final. Ele bateu todos os recordes do campeonato na semifinal contra o também paulista Igor Moraes, somando notas 9,90 e 8,25 no placar encerrado em 18,15 a 16,85 pontos. Na disputa seguinte, Luan Wood despachou o peruano Alonso Correa por 12,75 a 8,80 para confirmar uma decisão dos dois últimos campeões sul-americanos da categoria Pro Junior da WSL South America.

A final começou com ondas fracas, mas com Luan Wood liderando a bateria desde o início. A condição do mar era difícil, com poucas ondas boas e a maioria fechando rápido demais, mas Luan estava mais conectado com as séries. Ele pegou duas seguidas que abriram a parede para ele mostrar suas manobras modernas e arrancar notas 9,00 e 8,00 dos juízes. Deivid Silva passou a arriscar o limite das manobras para entrar na briga, mas sem completá-las como vinha conseguindo nas baterias anteriores. O máximo que o defensor do título conseguiu totalizar foram 8,50 pontos nas duas notas computadas, contra 17,00 do campeão sul-americano de 2013, Luan Wood, que faturou 2.500 dólares de prêmio pela vitória.

O catarinense tenta disputar o título mundial Pro Junior pela terceira vez consecutiva, pois esteve no time sul-americano que participou das edições de 2013 no Brasil e 2014 em Portugal, com Gabriel Medina sendo o campeão na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC), e Vasco Ribeiro também festejando o troféu de melhor Pro Junior do mundo em casa no ano seguinte. Além de Deivid Silva e Luan Wood, os mais próximos da classificação para o Mundial Pro Junior da World Surf League são os peruanos Alonso Correa (3.o) e Juninho Urcia (4.o) e os brasileiros Lucas Silveira (5.o) e Alcides Lopes (5.o).

ARGENTINAS NA BRIGA

Na categoria feminina, além da vitória inédita nas seletivas para surfistas com até 20 anos de idade da WSL South America, as argentinas entraram na briga direta pelas duas vagas para o Mundial Pro Junior da World Surf League. A peruana Miluska Tello continua liderando o ranking com a chilena Lorena Fica em segundo lugar, seguida por Lucia Indurain, Lucia Cosoleto e Josefina Ane. A campeã do Rip Curl Pro Junior Series Mar del Plata não participou da primeira seletiva no Peru e já aparece em terceiro lugar no ranking com os 1.000 pontos da vitória na Argentina. A chilena Lorena Fica tem 1.170 e a peruana Miluska Tello lidera com 1.560 pontos.

“O começo é sempre muito difícil, mas depois de muito sacrifício e treinamentos os resultados estão aparecendo”, disse Lucia Indurain. “Eu competi com muita confiança e nunca me descuidei durante a bateria, porque a Catalina (Mercere) é uma boa competidora, então a qualquer momento poderia me surpreender. Eu estou muito feliz pela vitória e agradeço a todos que sempre me incentivaram e torceram por mim”.

Na decisão do título feminino, Lucia Indurain largou na frente com a nota 3,75 da primeira onda que surfou na bateria. Ela foi pegando uma onda atrás da outra e conseguiu botar uma boa vantagem em quatro ondas seguidas que valeram notas 4,75, 4,10, 5,75 e 4,65, abrindo uma diferença de 7,25 pontos sobre Catalina Mercere. A jovem surfista de apenas 14 anos de idade tentou uma reação, mas só conseguiu notas 3,25 e 2,35 antes de Indurain fazer sua melhor apresentação na final. Ela completou uma série de três manobras numa direita para receber nota 7,00 que confirmou a primeira vitória da Argentina numa seletiva sul-americana Pro Junior da WSL South America por 12,75 a 6,90 pontos.