29 de abril de 2015

Robert Scheidt é bronze na Copa do Mundo em Hyères

251179_495274_244268_470665_img_4564_1500x881

Foto: Thom Touw //

Maior atleta olímpico brasileiro fecha competição com o quarto lugar na medal race, no último domingo.

Recuperado de uma lesão no joelho esquerdo que o afastou das competições, Robert Scheidt voltou ao pódio da Copa do Mundo, em Hyères, reafirmando-se como um dos maiores nomes da vela no mundo. O velejador ficou com o quarto lugar na medal race, disputada neste último domingo na raia francesa, suficiente para conquistar a medalha de bronze. O australiano Tom Burton foi o vencedor, e o inglês Nick Thompson ficou com a prata.

O vento soprou forte na raia francesa, com rajadas de até 20 nós (37 km/h), tornando a decisão da Copa do Mundo ainda mais emocionante. Na classe Laser, os dez melhores velejadores da competição disputaram uma medal race rápida. Scheidt, precisando de apenas três pontos para alcançar o então terceiro colocado, o australiano Tom Burton, teve problemas na largada, mas soube aproveitar o vento e foi recuperando posições ao longo da prova, até ficar com o quarto lugar.

“Tive uma penalidade logo antes da largada, por isso fiquei em último durante toda a primeira perna da prova. Mas consegui me recuperar a tempo de chegar em quarto lugar. Terminar em terceiro lugar, vindo de uma lesão, é um grande resultado”, explicou Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star. O brasileiro também comemorou a conquista da esposa, Gintare Scheidt, que ficou com a prata na Laser Radial.

A etapa francesa da Copa do Mundo apostou num formato mais enxuto, com apenas 8 regatas na fase classificatória e 40 velejadores na raia, entre os melhores do mundo na classe Laser. A competição é o primeiro evento deste ano analisado pelo conselho técnico da CBVela no processo de escolha da equipe olímpica brasileira nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016. Ainda estão na lista a etapa de Weymouth da Copa do Mundo, na Austrália, o evento-teste olímpico no Rio de Janeiro, a Semana Internacional de Vela do Rio e os Mundiais de classe.

“Estou bem satisfeito com a minha semana em Hyères. Consegui velejar em alto nível, sempre entre os primeiros, e brigando por medalha até o fim. Isso é algo muito positivo para o meu momento atual”, analisou o velejador, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex, Deloitte e Audi, com os apoios de COB e CBVela. “E sei que ainda tenho espaço para evoluir nas próximas competições, isso é o melhor.”

O próximo desafio de Scheidt é a Semana Olímpica de Garda, disputada entre 12 e 17 de maio “no quintal de casa”, na Itália. Será a última etapa de preparação antes do seu principal objetivo na temporada, o Mundial de Laser de Kingston, no Canadá, a partir de 29 de junho.