28 de dezembro de 2015

Robert Scheitd encerra temporada 2015 com Bronze

272819_569344_1b9a0507_1500x983

Foto: Fred Hoffman //

Maior atleta olímpico brasileiro ficou com o quinto lugar na medal race, no Rio de Janeiro.

Robert Scheidt fechou a temporada 2015 no pódio. O bicampeão olímpico conquistou a medalha de bronze da Copa Brasil de Vela após uma disputa eletrizante com o francês Jean-Baptiste Bernaz na medal race. A competição antecipou o clima dos Jogos do Rio 2016, com todos os candidatos ao pódio olímpico na classe Laser. O campeão foi o croata Tonci Stipanovic, seguido por Mathew Wearn, da Austrália, que ficou com a prata.

Para defender a medalha de bronze, Scheidt apostou numa estratégia mais agressiva. A ideia era segurar o francês Bernaz, quarto colocado, no sábado, com apenas quatro pontos de desvantagem. “Foi uma regata bem tensa. Comecei na frente do francês, mas tive que forçar a passagem muito próximo da boia, acabei tocando e sofri uma penalidade. Com isso, ele me passou. Eu o ultrapassei de novo e terminei a regata praticamente junto com o terceiro e o quarto colocados”, contou o brasileiro, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star. “Mais um pouco e eu poderia ter sido medalha de prata.”

O brasileiro terminou a prova em quinto lugar, suficiente para garantir o bronze, com apenas um ponto a mais que Mathew Wearn, enquanto Bernaz foi o sétimo. Francesco Marrai, da Itália, venceu a medal race, com o inglês Nick Thompson e o croata Stipanovic na sequência.

“Estou muito feliz por ter voltado a medalhar num evento importante como este, ainda mais depois de ficar em quarto lugar nas duas últimas competições (o Aquece Rio, evento-teste para a Olimpíada, e a etapa final da Copa do Mundo de Vela, em Abu Dhabi, restrita aos 20 melhores velejadores do mundo)”, comemorou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex, Deloitte e Audi, com os apoios de COB e CBVela. “Estou velejando bem, com uma boa velocidade, e esse resultado me dá mais confiança. Ao mesmo tempo, sei que posso ter um desempenho ainda melhor. E sempre há alguma coisa para melhorar, um detalhe do barco, uma manobra.”

A medalha de bronze coroou uma temporada de altos e baixos para Scheidt, marcada por uma lesão no joelho e o 15º lugar no Mundial de Laser de Kingston, mas também pelo bronze na etapa de Miami da Copa do Mundo de Vela e a prata nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. O brasileiro volta à água já no início de janeiro, após um breve descanso, para a disputa do Campeonato Brasileiro. “O importante, agora, é descansar e me preparar para o ano da Olimpíada, que será muito intenso”, ressaltou Scheidt.