9 de agosto de 2013

Roberta Borsari permanece no ranking das 10 melhores atletas de kayaksurf do mundo


Após participar do Mundial de Kayaksurf 2013, sediado na Austrália, Roberta Borsari segue entre as 10 melhores atletas do mundo na modalidade. Única representante feminina da América do Sul no campeonato, a brasileira disputou provas concorridas que reservaram algumas surpresas para os competidores.

Pela primeira vez as etapas do Mundial foram realizadas em praias diferentes. O critério de escolha, baseado na qualidade e na condição das ondas, permitiu que os participantes surfassem no melhor dos cenários. A competitividade, portanto, ficou a cargo do fator surpresa: como os locais das provas eram normalmente decididos na noite anterior, os atletas não podiam treinar especificamente para se adaptar a um ou outro tipo de onda. Por isso, tiveram que mostrar toda a sua desenvoltura e técnica frente aos mais diversos desafios.

Para Borsari, esse foco na performance foi o grande diferencial do campeonato, do qual participaram os melhores esportistas da modalidade. “Fico contente por ter representado bem o meu país e de garantir o meu espaço entre as 10 principais atletas do kayaksurf”, comemora a atleta.

O orgulho é mais do que merecido, visto que 80% dos treinos da paulistana são realizados em água parada, na raia da Universidade de São Paulo (USP). Praticar no mar só é possível aos finais de semana e isso quando as ondas contribuem – o que nem sempre acontece. O cenário desfavorável, no entanto, é compensado com treinos diários e muita dedicação, refletida em bons resultados.

Surfando pela primeira vez em águas australianas e na disputa com oponentes dos quatro cantos do mundo – Estados Unidos, Inglaterra, País Basco, entre outros –, Roberta Borsari ainda encontrou tempo e energia para admirar e conhecer outros aspectos do país. A atleta aproveitou o fim da competição para explorar não só o mar como também os rios do estado de Queensland, como parte das atividades do projeto SUPtravessias – que tem como objetivo visitar ilhas nacionais e internacionais para registrar suas belezas, histórias e curiosidades pela ótica feminina e do stand up paddle. Na Austrália, Borsari pôde remar lado a lado com golfinhos e muitos outros animais enquanto praticava o esporte, já que a vida marinha é muito rica neste país.

Mesmo depois de tantas aventuras por mares distantes, Roberta é incansável, como todo apaixonado por esportes radicais.

Recém-chegada da Austrália, já tem planos para o futuro próximo: continuar viajando pelo mundo com o projeto SUPtravessias – que já levou a atleta para ilhas como a do Montão de Trigo, Alcatrazes e Couves e Gatos, localizadas no litoral de São Paulo, e também para o  arquipélago de Galápagos, no Equador.

Com mais de 15 anos de carreira, Roberta Borsari coleciona títulos e conquistas: foi a primeira mulher no mundo a surfar a Pororoca Amazônica de caiaque e a primeira atleta a realizar a travessia de stand up paddle em mar aberto – quando percorreu 40 quilômetros da Barra do Sahy até Alcatrazes. Borsari também é pioneira na canoagem nacional e tem um projeto de travessias de stand up paddle. Mais informações podem ser obtidas nos sites www.robertaborsari.com e www.suptravessias.com.br