7 de abril de 2015

Robson Santos é o novo campeão do Rip Curl Pro

249338_488229_150405_podioqs_foto_rodrigomairal

Foto: Rodrigo Mairal //

O norte-americano Nic Hdez conseguiu quebrar a hegemonia brasileira em finais no QS de Mar del Plata, mas não a invencibilidade verde-amarela no alto do pódio mantida pelo paulista Robson Santos com a sua primeira vitória no Circuito Mundial em Mar del Plata.

O paulista Robson Santos, 28 anos, manteve a hegemonia brasileira no alto do pódio do Rip Curl Pro Argentina, mas desta vez a final não foi 100% verde-amarela como nas outras duas edições e sim contra o jovem norte-americano Nic Hdez, 18 anos. Ele derrotou o pernambucano Luel Felipe, 23, e o carioca Lucas Silveira, 19, para chegar na decisão do título da primeira etapa do World Surf League Qualifying Series na América do Sul este ano. Pela vitória no domingo de vento sul forte, muito frio e mar difícil, com ondas mexidas de 2-3 pés na Playa Grande de Mar del Plata, Robson Santos faturou o prêmio máximo de 8.000 dólares, marcou seus primeiros 1.500 pontos no ranking mundial do QS e 1.000 pontos para liderar o primeiro ranking sul-americano da WSL South America em 2015.

“Estou muito, muito, muito feliz. É a minha primeira vitória no WQS e só tenho que agradecer a Deus, a todo mundo que vem me ajudando e acredita em mim. Agora é voltar pra casa, treinar mais ainda porque na semana que vem já tem outro campeonato”, disse Robson Santos, que deve se dedicar na disputa do Circuito Brasileiro esse ano. “Infelizmente eu não tenho um patrocínio forte pra correr o Circuito Mundial. Eu gostaria muito de ter um para ir em busca do meu sonho que é entrar pro WCT, então vou ficar pelo Brasil mesmo, correr o SuperSurf, que ficou 10 anos fazendo do Circuito Brasileiro o mais rico do mundo e vai voltar esse ano. Estou muito feliz pela vitória aqui na Argentina e agora vou comer muito pra festejar, porque estou morrendo de fome”.

Robson Santos foi preciso na escolha de ondas para vencer a grande final do QS 1500 Rip Curl Pro Argentina. A bateria começou com Nic Hdez pegando qualquer onda que entrava perto dele, mas todas fechando rápido para tirar boas notas, enquanto Robson preferiu esperar pelas melhores e a primeira esquerda que pegou abriu a parede para ele acertar três manobras e largar na frente com nota 7,00. O americano respondeu com nota 5,00 e se mantinha na briga do título. No entanto, Robson logo pega outra esquerda abrindo para aplicar quatro manobras fortes usando a borda para levantar grandes leques de água e consolidar a liderança com nota 8,17. Nic Hdez conseguiu sair da “combination” com uma nota 5,67, mas ainda precisava de um 9,50 nos 10 minutos finais pra vencer.

O brasileiro passou então a marcar o americano mais de perto, remando lado a lado com ele no mar mexido da Playa Grande. Hdez ainda escapou para arriscar um aéreo que não completou, enquanto Robson mantinha a prioridade de escolha, administrando a vantagem no outside. O tempo foi passando e a primeira vitória do paulista Robson Santos no Circuito Mundial foi confirmada nas duas únicas boas que ele surfou na bateria. O título valeu um prêmio de 8.000 dólares, 1.500 pontos no ranking do WSL Qualifying Series e 1.000 pontos para liderar o primeiro ranking sul-americano profissional da temporada 2015 da WSL South America. Já Nic Hdez ficou com 4.000 dólares e marcou 1.125 pontos no ranking mundial, mas não pontua no sul-americano por não ser do continente.

O domingo decisivo do QS 1500 Rip Curl Pro Argentina começou com 16 surfistas de cinco países brigando por vagas para as quartas de final na última rodada de confrontos formados por quatro competidores. Doze deles eram do Brasil e entre os quatro de outros países, somente o argentino Leandro Usuna e o norte-americano Nic Hdez se classificaram, com o francês Tom Cloarec e Dimitri Ouvre, da ilha São Bartolomeu, ficando em último nas suas baterias.

Nos duelos homem a homem inaugurados nas quartas de final, Leandro Usuna foi barrado pelo campeão Robson Santos, mas Nic Hdez passou por Luel Felipe e depois também derrotou Lucas Silveira nas semifinais. O carioca dividiu o terceiro lugar com o paulista Hizunomê Bettero, que numa das baterias mais eletrizantes do último dia foi eliminado por Robson Santos na batalha pela primeira vaga na final.