6 de dezembro de 2017

Rodrigo Oliveira garante medalha de bronze

327857_754882_pA_dio_pan_am_bjje

Foto: Divulgação //

Atleta HTPro Team encerrou a temporada na competição realizada no Complexo Esportivo do Ibirapuera em São Paulo (SP).

O atleta Rodrigo Oliveira (BTT São Caetano do Sul/Fight & Fit) encerrou a sua temporada no Campeonato Pan-Americano de Jiu-Jitsu Esportivo com mais um pódio no ano. Na competição realizada no Complexo Esportivo do Ibirapuera, em São Paulo (SP), Rodrigo garantiu a medalha de bronze, após vencer sua luta nas quartas de final e ser derrotado nas semifinais.

A disputa de Rodrigo Oliveira na categoria leve e com quimono (até 76 kg) foi realizada no último domingo e contou com seis lutadores. Na sua primeira luta, Rodrigo não teve dificuldades para finalizar o adversário em apenas 34 segundos. Já na semifinal, a luta terminou empatada e o atleta do HTPro Team foi derrotado pelo fato de seu concorrente ter uma vantagem a mais concedida pela arbitragem.

“Na última luta enfrentei um atleta da Argentina, o mesmo que eu havia vencido na minha competição anterior, o São Paulo Open sem quimono. Ao meu ver fui prejudicado pelas decisões da arbitragem. Empatamos em 2×2 e ele ganhou por uma vantagem. No entanto, em três momentos, o juiz da luta deixou de dar vantagens para mim, em que executei golpes de diferentes níveis”, relatou Rodrigo. “A lógica seria eu ter tido três vantagens contra uma dele, mas infelizmente não foi o entendimento dos árbitros”, complementou.

Com o resultado, Rodrigo Oliveira conclui 2017 com grandes resultados e a presença quase que constante no pódio das competições por ele disputadas. Na temporada, o lutador venceu o Campeonato Paulista em março, o Mundial No-Gi (sem quimono) em São Carlos (SP), em maio, e o São Paulo Open, em outubro. Foi vice-campeão da Copa Kings em Campinas (SP), além do bronze no Sul-Americano em São Paulo, no mês de abril.

“Este ano foi meu melhor em termos de resultado. Diferentemente de outros anos, não lutei tantas competições como era antes, mas fiz um planejamento de disputar apenas os campeonatos da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo (CBJJE). Das disputas que participei, apenas a Copa Kings em Campinas não fazia parte da CBJJE, que fui porque estava voltando de uma lesão e precisava ganhar ritmo”, destacou Rodrigo.

“Espero repetir ano que vem o ano produtivo que tive em 2017, além de competir fora do Brasil, no Mundial com e sem quimono da IBJJ, na Califórnia (EUA)”, contou o lutador paulistano, mas radicado em São Caetano do Sul. “Agora é correr atrás de patrocínios, que serão fundamentais para eu ir para o exterior. O valor é bastante alto para viajar, então desde já estou em busca de patrocinadores que me ajudem a fazer esta viagem, ou até mesmo para a Europa, para competir em outros eventos”, finalizou.