14 de maio de 2015

Show de tubos e aéreos no primeiro dia do Oi Rio Pro

Kelly Slater

Foto: Daniel Smorigo //

Os melhores do dia foram Kelly Slater e Adriano de Souza nos tubos da manhã na Barra da Tijuca e à tarde Filipe Toledo dominou o espaço aéreo com seus voos na sexta vitória brasileira da terça-feira no Rio de Janeiro.

O Oi Rio Pro abriu a etapa brasileira do Samsung Galaxy World Surf League Championship com um show de tubos e aéreos nas boas ondas de 3-5 pés do Postinho na terça-feira ensolarada na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. O onze vezes campeão mundial Kelly Slater comandou o espetáculo surfando tubos incríveis para registrar imbatíveis 19,27 pontos de 20 possíveis com notas 9,77 e 9,50. Depois vieram cinco vitórias brasileiras seguidas com Wiggolly Dantas, o campeão mundial Gabriel Medina, Italo Ferreira, o líder do ranking Adriano de Souza e Jadson André. Os que chegaram mais perto dos recordes de Slater foram Adriano e Filipe Toledo. Mineirinho estreou com a lycra amarela de número 1 do mundo pegando um tubaço nota 9,73 para totalizar 17,90 pontos. E Filipe usou os aéreos para garantir a vitória por 16,27 pontos com a nota 9,70 do voo mais espetacular do primeiro dia no Rio de Janeiro.

“Na verdade, eu não consegui dormir muito bem e até gostaria de um “lay day” (adiamento) hoje (terça-feira) pra treinar um pouco mais. Mas eu me senti muito bem na bateria, as ondas estavam boas e eu procurei pegar as maiores das séries que proporcionavam bons tubos”, disse o mestre dos mestres, Kelly Slater. “Em ondas assim como essas de hoje, você tem que acreditar no seu instinto, procurar se alinhar nos tubos e não ser muito ambicioso, tentar não ficar muito profundo. Teve uma onda linda que eu não finalizei porque estava muito profundo, então tem que saber ler bem a onda pra aproveitar o máximo dela e foi isso que eu fiz”.

Depois do show de Kelly Slater, o paulista Wiggolly Dantas iniciou uma série de cinco vitórias brasileiras consecutivas com todos também pegando tubos adrenalizantes em suas baterias. Guigui derrotou um ex-campeão da etapa brasileira da World Surf League, o havaiano John John Florence, além do ex-campeão mundial C. J. Hobgood no terceiro confronto do dia. E no seguinte, a praia lotou ainda mais com a torcida gritando “Medina, Medina, Medina” no caminho do campeão mundial para o mar. E Gabriel Medina confirmou as expectativas do público pegando bons tubos para derrotar o havaiano Fredrick Patacchia e o catarinense Alejo Muniz.

“As ondas ficaram meio complicadas na minha bateria, mas estou me sentindo muito bem e fiquei feliz em conseguir surfar um bom tubo para ganhar a nota 7 e pouco que me garantiu a vitória”, disse Gabriel Medina. “Eu não tive um bom começo de ano lá na Austrália, mas não sinto nenhuma pressão em mim por resultados. Eu lido bem com isso e só tento fazer o meu melhor nas ondas. Aqui eu estou em casa, me sinto bem com toda essa galera torcendo por mim, então só penso mesmo em surfar o melhor possível para eles”.