Tarumã será palco do 1º Festival Brasileiro de Endurance

Foto: Dudu Leal //

Evento terá em sua programação a prova 500 Km de Tarumã, válida pela 1ª etapa do Brasileiro e do Gaúcho.

No próximo dia 03 de abril, o Autódromo Internacional de Tarumã será o palco do 1º Festival Brasileiro de Endurance. A programação conta com a 1ª etapa do Campeonato Brasileiro de Endurance, do Campeonato Gaúcho, Copa Classic e o Track Day Trofeo Experience Pirelli que abre a temporada 2016, com a prova 500 km de Tarumã, no lendário circuito do Rio Grande do Sul.

Ao todo são esperados 40 carros no grid entre protótipos, GTs e turismos, que divididos em sete categorias tornam a prova um grande espetáculo de disputas e ultrapassagens, onde o vencedor é decidido nas voltas finais e a estratégia de cada equipe acaba sendo extremamente importante no resultado.

A divisão mais potente e cobiçada do Brasileiro de Endurance é a GP1, onde se enquadram os carros GT nacionais ou importados, que seriam carros variados de modelos de rua, mas bastante alterados em relação aos originais, e protótipos brasileiros com motor acima de 1500 cm³, equipados com motores turbo.

Nessa categoria estão confirmados: o MR18 #04 de Cláudio Ricci, Felipe e Vinicius Roso, que este ano terá também o piloto catarinense Felipe Tozzo; a Lamborghini #18 de Fernando Poeta e Andersom Toso; o MRX #65 dos sul-mato-grossenses Nilson Ribeiro, que forma dupla com seu filho José Ribeiro; o MCR #71 de Ian Ely e Daniel Claudino; o MRX #75 dos paulistas Henrique Assunção, Ronaldo Kastropil, Fernando Fortes e Emilio Padron; o Tubarão # 78 de Tiel Andrade e Franco Pasquale; o MRX #80 de Alexandre Finardi e Felipe Bertuol; o estreante MR18 #110 do multicampeão de kart Francesco Ventre e Eduardo Ventre; e o MR18 de Vithor Aneris.

“A temporada deste ano promete ser uma das mais disputadas dos últimos anos. Na nossa categoria teremos um belo grid, com pilotos e equipes experientes, que tornaram a disputa um grande espetáculo”, destacou Claudio Ricci, experiente piloto com passagens pela Stock Car, Mundial de Fia GT e GT3 Brasil.

Fernando Poeta é outro piloto que compartilha da opinião de Ricci. “Estamos no melhor momento, pois a categoria se tornou uma alternativa interessante para quem quer correr e ainda têm como opção dividir o custo com outros pilotos. O campeonato está muito organizado e com ótima estrutura. Tenho certeza que esse ano estaremos ainda mais forte e com um grid dos sonhos”, disse.

A segunda categoria em força e importância é a P2, onde só podem correr protótipos brasileiros com motores aspirados 16 válvulas, considerados protótipos “light”. Ou seja, é possível ver modelos MRX, Tubarão e Spyder correndo em duas categorias diferentes, com o propulsor sendo a única diferença entre os dois carros – o que já provoca um belo contraste nos tempos de volta de cada um. Logo em seguida vem a P3, que agrupa protótipos nacionais aspirados 8 válvulas.

Na categoria P2 estão confirmados: o Tornado #03 de Cali Crestani e Ruben Ghisleni, o Tubarão Mugen #32 de Paulo Sousa e Mauro Kern, o Scorpion #37 de Stuart Turvey, o Porsche #780 de Jairo Bastos. Na P3 estarão no grid o protótipo 1R #144 de Jeferson Leandrini, o 1R #128 de Miguel Malaco, o Spyder #02 de Sandro Loff, o Spyder #08 de Michael Soares, o Spyder #13 de José Antonio Sala, o Spyder #56 de Gustavo Simon e Rafael Simon, e o Tubarão #05 de Julio Martini e Marcelo Viana.

A GT1 inclui as categorias Ferrari Challenge, Porsche GT3 Cup, até 2008 e os GT4, além de veículos tipo turismo com motor acima de 2500 cm³ e modelos Silhouette, que seriam carros, com estrutura tubular e carenagem imitando modelo de rua. Nesta divisão se encaixaria, por exemplo os antigos Ômega da Stock Car, que possuem motor seis cilindros em linha com 4.100 cm³.

A GT2 inclui a Maserati Trofeo. A TS é para carros de Turismo Força Livre, com cilindrada de até 2200cc e com monobloco modificado. T agrupa modelos de turismo até 2100 cilindradas de 8 e 16 válvulas.

O campeonato Brasileiro será composto de quatro etapas duas no Rio Grande do Sul, uma no Paraná e outra em São Paulo. O campeonato Gaúcho terá seis etapas nos autódromos de Tarumã, Santa Cruz do Sul e Guaporé.